[A BÍBLIA DO VBA NO ACCESS]: MACROS E PROGRAMAÇÃO VBA NO ACCESS - CURSO COMPLETO

Páginas: 1164 | Autor: Júlio Battisti | 50% de Desconto e 21 Super Bônus

Você está em: PrincipalArtigosSQL Server 2005 › Capítulo 03 : 04
Quer receber novidades e e-books gratuitos?
›››
« Lição anterior Δ Página principal ¤ Capítulos Próxima lição »
SQL Server 2005 - CURSO COMPLETO
Autor: Júlio Battisti
Lição 047 - Capítulo 03 - Verificação dos Arquivos Criados para o Exemplo 1 e para o Exemplo 2

Vamos fazer uma pequena verificação, para conferir se os arquivos dos Bancos de Dados Exemplo1 e Exemplo2 foram realmente criados (os arquivos do banco de dados Exemplo2 somente serão criados se você concluiu o exercício proposto anteriormente):

1.  Abra o Windows.
2.  Navegue até a pasta C:\livrosql.
Devem aparecer as pastas Exemplo1 e Exemplo2.
3.  Dê um clique na pasta Exemplo1, no painel da direita devem ser exibidos os arquivos do Banco de Dados Exemplo1, conforme indicado na Figura 3.31:


Figura 3.31 Os arquivos do Banco de Dados Exemplo1.

Observe o tamanho dos arquivos, o qual é exatamente o tamanho inicial quando da criação do Banco de Dados Exemplo1: 10 MB para o arquivo primário (.mdf), 10 MB para o arquivo secundário (.ndf) e 5 MB para o arquivo de log (.log). Os arquivos continuam com o tamanho inicial pois nenhum dado foi adicionado ao Banco de Dados Exemplo1. Nem mesmo tabelas foram criadas neste Banco de Dados – mas isto é assunto para o próximo capítulo.

4.  Clique na pasta exemplo2 e observe os arquivos presentes bem como o tamanho dos arquivos.
5.  Feche o Windows Explorer.

Fundamentos em Entender e Utilizar Comandos T-SQL:

Pré-Requisitos:

  • Noções dos conceitos básicos sobre Bancos de Dados Relacionais.

Metodologia:

  • Apresentação dos principais elementos e funções da janela para Execução de Comandos T-SQL, dentro do SQL Server Management Studio

Técnica:

  • Aprender através de exemplos práticos.

Já falamos algumas vezes sobre a ferramenta Query Analyzer, a qual era utilizada no SQL Server 2000. O Query Analyzer era a ferramenta usada para a execução de comandos T-SQL. No SQL Server 2005, o Query Analyzer deixou de existir e, dentro do próprio SQL Server Management Studio, podemos abrir uma janela para execução de comandos T-SQL (na verdade esta janela, aberta dentro do SQL Server Management Studio, é muito parecida, em funcionalidade, com o que era o Query Analyzer no SQL Server 2000. Na verdade, na opinião deste autor, no SQL Server 2005, simplesmente o Query Analyzer deixou de ser uma ferramenta separada e teve a sua funcionalidade embutida dentro do SQL Server Management Studio) Neste item, veremos como a janela para execução de comandos T-SQL, dentro do SQL Server Management Studio.

É possível, literalmente, executar qualquer ação, usando comandos T-SQL; Criar bancos de dados, configurar bancos de dados, criar tabelas, chaves primárias, relacionamentos entre tabelas, criar consultas, etc. Qualquer ação do SQL Server 2005 é possível de ser executada, usando comandos T-SQL. A idéia básica de execução dos comandos é que cada comando é executado em relação a um determinado objeto. Por exemplo, um comando T-SQL para criação de um novo banco de dados é executado em uma instância do SQL Server 2005. Um comando T-SQL para criar uma nova tabela, é executado em um banco de dados. Um comando T-SQL para definir permissões de acesso para um ou mais usuários, para os dados de uma determinada tabela, é executado na tabela e assim por diante.

Com isso, temos uma regra geral para abrir uma janela para execução de comandos T-SQL, em relação a um determinado objeto do SQL Server 2005. Por exemplo, se você quer executar um comando em uma instância do SQL Server 2005, abra o SQL Server Management Studio clique com o botão direito do mouse na referida instância, na janela Object Explorer e, no menu de opções que é exibido, clique em New Query. Se você quer executar um comando T-SQL em um banco de dados, clique com o botão direito do mouse no banco de dados, na janela Object Explorer e, no menu de opções que é exibido, clique em..., adivinhe: New Query. A idéia básica é essa, localize o objeto sobre o qual serão executados os comandos T-SQL, clique com o botão direito do mouse neste objeto e, no menu de opções que é exibido, clique em New Query. Será aberta uma janela para execução de comandos T-SQL, no painel da direita do SQL Server Management Studio, conforme exemplo da Figura 3.32:


Figura 3.32 Janela para execução de comandos T-SQL, no banco de dados Exemplo1.

Observe, no título da janela de execução de comandos, que é informado com qual objeto você está conectado. No exemplo da Figura 3.32, com o banco de dados Exemplo1, da instância SERVIDOR\SQL2005.

Por padrão, a conexão para execução de comandos, é feita com a mesma conta com a qual você se conectou com o SQL Server Management Studio. Caso a conta que você esteja utilizando, não tenha permissão para executar comandos no objeto selecionado, será solicitado que você informe uma conta e a respectiva senha, conta esta que deve ter as permissões para execução de comandos, no objeto selecionado. Estas informações são necessárias, pois não são todos os usuários que têm acesso a todos os objetos de uma instância do servidor SQL.

A janela de execução fornece um espaço, para que você digite o comando a ser executado. Claro que até este momento você conhece somente o básico dos comandos T-SQL, os quais foram apresentados no Capítulo 1. Ao longo deste livro, você aprenderá uma grande quantidade de comandos. E muitos outros ainda existem, os quais, por falta de espaço (se não o livro ficaria com umas 10 mil páginas), não tem como ser abordados em um único livro. No Books Online, você encontra uma referência completa e detalhada, com exemplos, sobre todos os comandos T-SQL disponíveis no SQL Server 2005. E são, literalmente, milhares de comandos.

Os comandos T-SQL podem ser digitados diretamente no que eu chamo de área de trabalho, que é onde está o cursor piscando. A melhor maneira de vermos a janela de execução de comandos em funcionamento, é através de um exemplo prático.

Vamos começar executando uma consulta simples, a qual retorna todos os registros da tabela HumanResources.Employee, do Banco de Dados AdventureWorks, o qual é o banco de dados de exemplos, instalado com o SQL Server 2005. Para isso precisamos fazer o seguinte:

Então vamos, passo a passo, fazer o exemplo proposto.

Exemplo prático:
Executando uma consulta simples, usando a janela de execução de comandos T-SQL, do SQL Server Management Studio.

Para executar um comando, que retorna todos os registros da tabela HumanResources.Employee, do Banco de Dados AdventureWorks, siga os passos indicados a seguir:

1.  Faça o logon com uma conta com permissão de Administrador.
2.  Abra o SQL Server Management Studio.
3.  Na janela Object Explorer, clique no sinal de + ao lado da instância SERVIDOR\SQL2005, para exibir as opções disponíveis.
4.  Clique no sinal de + ao lado da opção Databases, para exibir os bancos de dados disponíveis nesta instância do SQL Server 2005.
5.  Na lista de Banco de Dados, clique com o botão direito do mouse no banco de dados AdventureWorks e, no menu de opções que é exibido, clique em New Query. A janela para execução de comandos será aberta e exibida na área central do SQL Server Management Studio. Observe que a janela já vem conectada com o banco de dados AdventureWorks, pois foi neste banco de dados que você clicou com o botão direito do mouse.
6.  Na janela de execução de comandos T-SQL, digite o seguinte comando:

SELECT * FROM HumanResources.Employee

Observe que à medida que você digita, o SQL Server 2005 vai colocando os comandos e nome de tabelas em cores diferentes. Isto significa que o comando que você está digitando está sendo entendido. Caso o nome de um comando não fique colorido após a digitação, significa que o comando não foi entendido. Provavelmente você deve ter cometido um erro de digitação.

7.  Após ter digitado o comando, pressione F5 para executá-lo. Ao invés de F5 você pode pressionar Ctrl+E para executar os comandos que foram digitados.

O resultado da execução deste comando é uma listagem com todos os registros da tabela HumanResources.Employee do Banco de Dados AdventureWorks, conforme indicado na Figura 3.33:


Figura 3.33 Resultado da execução do comando T-SQL.

Observe que, na parte de baixo da janela, temos duas guias: Results, que é onde são exibidos os resultados de uma consulta; e Messages, que é onde serão exibidas mensagens. No caso da consulta ter sido executada com sucesso, a mensagem limita-se ao número de linhas que foram retornadas, como por exemplo:

(290 row(s) affected)

para o caso de termos digitado um comando com erros a mensagem descreve o tipo de erro, como por exemplo o comando:

SELECT * FROM HumanResources.Employeexx

irá retornar a seguinte mensagem de erro:

Msg 208, Level 16, State 1, Line 1
Invalid object name 'HumanResources.Employeexx'.

Neste caso digitei o nome da tabela incorretamente, como não existe uma tabela chamada HumanResources.Employeexx, no Banco de Dados AdventureWorks, não foi possível executar o comando e foi emitida a mensagem de erro informando o motivo.

Mas a janela para execução de comandos T_SQL não se limita à execução de comandos T-SQL simples, para consultas. Na verdade, a linguagem T-SQL é bastante poderosa. Podemos criar um Banco de Dados e todos os seus objetos, simplesmente utilizando comandos T-SQL. No próximo item, veremos como criar um Banco de Dados e depois alterá-lo, utilizando comandos T-SQL.

Existe um comando que permite que seja alterado o Banco de Dados padrão dentro da própria seqüência de comandos T-SQL. Por exemplo, vamos supor que o Banco de Dados atual seja o AdventureWorks e você deseja executar uma instrução SQL no banco master. Poderíamos utilizar a seguinte seqüência de comandos para, primeiro, alternarmos para o banco de dados master e, depois, executar uma instrução SQL nele.

USE master
SELECT * FROM SYS.TABLES

Todos os comandos SQL que aprendemos no Capítulo 1 podem ser executados nesta janela de execução de código. Por exemplo, vamos executar uma consulta no banco de dados NorthWind (você ainda não tem este banco de dados no SQL Server 2005. Mostrarei como importar este banco de dados, no Capítulo sobre o DTS, onde falarei sobre Importação e Exportação de dados com o SQL Server 2005), a qual retorna apenas os clientes (Customers) mexicanos, isto é, em que o campo Country possui o valor Mexico. Para isso poderíamos utilizar o seguinte comando:

USE NORTHWIND
SELECT * FROM CUSTOMERS WHERE COUNTRY=‘Mexico’

Neste caso, serão retornados apenas cinco registros, isto é, apenas os registros para os clientes mexicanos.

Existem muitas outras funcionalidades nesta janela de execução de comandos. Vamos trabalhar com muitas destas funcionalidades ao longo deste livro. A janela para execução de comandos T-SQL é de grande utilidade para que o DBA possa executar comandos diretamente nos Bancos de Dados do SQL Server. Conforme aprenderemos ao longo deste livro, existem uma série de comandos para manutenção e otimização dos elementos de um Banco de Dados do SQL Server; comandos estes que podem ser executados através da janela de execução de código. Para fechar esta janela, basta clicar no x no lado direito da janela (não no x bem de cima, se não você irá fechar o SQL Server Management Studio).

Podemos inserir comentários nos comandos T-SQL. Utilizar comentários sempre é uma boa prática de programação. Um comando T-SQL com muitas linhas pode ser gravado em um arquivo de texto e depois carregado na janela de execução de código para futuras execuções. Desta forma não precisamos digitar o comando, ou conjunto de comandos, cada vez que estes precisarem ser executados. Para inserir comentários em um comando T-SQL, basta iniciar a linha do comentário com dois traços, como no exemplo a seguir:

— Este comando retorna apenas os clientes do México
USE NORTHWIND
SELECT * FROM CUSTOMERS WHERE COUNTRY=‘México’

Cada linha de comentário deve iniciar com —.

Caso você queira inserir um comentário com várias linhas, sem precisar iniciar cada linha com —, podemos utilizar os caracteres /* para iniciar o bloco de comentários e */ para finalizar o bloco de comentários, conforme indicado no exemplo a seguir:

/*
Nesta rotina, iremos extrair dados de diversas tabelas
e consolidá-los de acordo com o Código do Produto,
Código do Vendedor e Região de Vendas.
No Final, os dados serão inseridos em uma tabela temporária
chamada temp_result, no Banco de Dados Consolidado
*/
USE ...
SELECT * ...

Fundamentos em Criação de Bancos de Dados Usando Comandos T-SQL:

Pré-Requisitos:

  • Noções dos conceitos básicos sobre Bancos de Dados relacionais.
  • Saber utilizar a janela para execução de comandos T-SQL..
  • Conhecer a estrutura de armazenamento de um Banco de Dados do SQL Server 2005.

Metodologia:

  • Apresentação dos comandos T-SQL para criação de Bancos de Dados.

Técnica:

  • Criação de Bancos de Dados utilizando os comandos apresentados.

Para criarmos um Banco de Dados, utilizamos o comando CREATE DATABASE. A seguir temos a sintaxe para este comando, conforme descrito no Books Online:

CREATE DATABASE database_name
[ ON
[ < filespec > [ ,...n ] ]
[ , < filegroup > [ ,...n ] ]
]
[ LOG ON { < filespec > [ ,...n ] } ]
[ COLLATE collation_name ]
[ FOR LOAD | FOR ATTACH ]
< filespec > ::=
[ PRIMARY ]
( [ NAME = logical_file_name , ]
FILENAME = os_file_name
[ , SIZE = size ]
[ , MAXSIZE = { max_size | UNLIMITED } ]
[ , FILEGROWTH = growth_increment ] ) [ ,...n ]
< filegroup > ::=
FILEGROUP filegroup_name < filespec > [ ,...n ]

Este formato genérico não é muito intuitivo e nem de fácil entendimento. Vamos simplificar um pouco. A seguir, apresento uma sintaxe simplificada, somente com as opções necessárias para criar o Banco de Dados, com um arquivo primário, um arquivo secundário e um arquivo de log:

CREATE DATABASE NOME_DO_BANCO_DE_DADOS
ON
— *************************
— Definição do Arquivo Primário
— *************************
(NAME= Nome_Lógico_Arquivo_Primário,
FILENAME = ‘Caminho para gravar o arquivo, por ex. C:\livrosql\exemplo3\ex3-prim.mdf’,
SIZE= Tamanho_Inicial,
MAXSIZE= Tamanho_Máximo_Admitido,
FILEGROWTH = Incremento),
— ***************************
— Definição do Arquivo Secundário
— ***************************
(NAME= Nome_Lógico_Arquivo_Secundário,
FILENAME = ‘Caminho para gravar o arquivo, por ex. C:\livrosql\exemplo3\ex3-sec.ndf’,
SIZE= Tamanho_Inicial,
MAXSIZE= Tamanho_Máximo_Admitido,
FILEGROWTH = Incremento)
— *************************
— Definição do Arquivo de Log
— *************************
LOG ON
(NAME= Nome_Lógico_Arquivo_Log,
FILENAME = ‘Caminho para gravar o arquivo, por ex. C:\livrosql\exemplo3\ex3-log.ldf’,
SIZE= Tamanho_Inicial,
MAXSIZE= Tamanho_Máximo_Admitido,
FILEGROWTH = Incremento)
— ***************************************
— Final do comando de criação do Banco de Dados
— ***************************************

Lembrando que as linhas que iniciam com — são linhas de comentário, cujo objetivo é tornar a leitura e interpretação do comando T-SQL mais fácil.

Agora vamos utilizar um comando que cria um Banco de Dados chamado Exemplo3, com as características definidas na Tabela 3.4. Os arquivos, primário, secundário e de log, deverão ser salvos em C:\livrosql\exemplo3.

Arquivo Definições
Primário C:\livrosql\exemplo3\exemplo3-prim.mdf.
Crescimento automático habilitado.
Tamanho inicial: 7 MB.
Crescimento em incrementos de 1 MB.
Tamanho máximo de 25 MB.
Secundário C:\livrosql\exemplo3\exemplo3-sec1.ndf.
Crescimento automático habilitado.
Tamanho inicial: 10 MB.
Crescimento em incrementos de 10 %.
Tamanho máximo de 50 MB.
Arquivo de log C:\livrosql\exemplo3\exemplo3-log1.ldf.
Crescimento automático habilitado.
Tamanho inicial: 7 MB.
Crescimento em incrementos de 2 MB.
Tamanho máximo de 25 MB.

Tabela 3.4 Banco de dados Exemplo3.

Exemplo prático:
Criar o Banco de Dados Exemplo3, com as definições dadas pela Tabela 3.4. Criar o banco de dados na instância SERVIDOR\SQL2005 (ou utilize uma instância disponível no computador que você está usando).

1.  Faça o logon com uma conta com permissão de Administrador.
2.  Abra o SQL Server Management Studio.
3.  Na janela Object Explorer, clique no sinal de + ao lado da instância SERVIDOR\SQL2005, para exibir as opções disponíveis.
4.  Clique com o botão direito do mouse na instância SERVIDOR\SQL2005 e, no menu de opões que é exibido, clique em New Query. Será aberta a janela para execução de comandos T-SQL, já descrita anteriormente.
3.  Digite s seguinte comando, o qual irá criar o banco de dados Exemplo3, com as definições da Tabela 3.4:

CREATE DATABASE Exemplo3
ON
— *************************
— Definição do Arquivo Primário
— *************************
(NAME= exemplo3_prim,
FILENAME = ‘C:\livrosql\exemplo3\exemplo3-prim.mdf ‘,
SIZE= 7MB,
MAXSIZE= 25MB,
FILEGROWTH = 1MB),
— ***************************
— Definição do Arquivo Secundário
— ***************************
(NAME= exemplo3_sec1,
FILENAME = ‘C:\livrosql\exemplo3\exemplo3-sec1.ndf ‘,
SIZE= 10MB,
MAXSIZE= 50MB,
FILEGROWTH = 10%)
— *************************
— Definição do Arquivo de Log
— *************************
LOG ON
(NAME= exemplo3_log1,
FILENAME = ‘C:\livrosql\exemplo3\exemplo3-log1.ldf ‘,
SIZE= 7MB,
MAXSIZE= 25MB,
FILEGROWTH = 2MB)
— ***************************************
— Final do comando de criação do banco de dados
— ***************************************

Veja que estamos utilizando o caractere de sublinhado _ para os nomes lógicos, pois não podemos utilizar o sinal -, o qual não é um caractere válido para um nome lógico. Se utilizarmos o sinal - , ao executarmos o comando obteremos a seguinte mensagem de erro:

Server: Msg 170, Level 15, State 1, Line 14
Line 14: Incorrect syntax near ‘-’.

Importante: Antes de executar este comando, a pasta C:\livrosql\exemplo3 já deve ter sido criada, caso contrário será exibida a seguinte mensagem de erro:

Server: Msg 5105, Level 16, State 2, Line 1
Device activation error. The physical file name ‘C:\livrosql\exemplo3\exemplo3-prim.mdf’ may be incorrect.
Server: Msg 1802, Level 16, State 1, Line 1
CREATE DATABASE failed. Some file names listed could not be created. Check previous errors.

Ao executar este comando, se você não tiver cometido nenhum erro de digitação, o Banco de Dados Exemplo3 terá sido criado e a seguinte mensagem será exibida na guia Messages:

Command(s) completed successfully.

Com isso o nosso Banco de Dados Exemplo3, foi criado, com as características definidas na Tabela 3.4. Mantenha o SQL Server Management Studio aberto.

Agora vamos verificar se o Banco de Dados Exemplo3 foi realmente criado.

Exemplo prático:
Verificando se o Banco de Dados Exemplo3 foi realmente criado:

1.  Abra o SQL Server Management Studio (já deve estar aberto do exemplo anterior).
2.  Na janela Object Explorer, clique no sinal de mais ao lado da instância SERVIDOR\SQL2005 para expandi-la (use a instância disponível no computador que você está utilizando).
4.  Clique no sinal de mais ao lado de Databases para expandi-la.
5.  Observe que o Exemplo3 já deve aparecer na listagem de Banco de Dados. Caso o banco de dados Exemplo3 ainda não esteja sendo exibido, clique na opção Databases para selecioná-la e pressione a tecla F5 para atualizar a visão.

Vamos fazer mais algumas observações sobre o comando CREATE DATABASE:

  • Os tamanhos para os parâmetros SIZE e MAXSIZE podem ser definidos em kilobyte (KB), megabyte (MB), gigabyte (GB) ou terabyte (TB). O padrão é MB, isto é, se não for especificada a unidade, o número é considerado em MB.
  • O parâmetro FILEGROWTH, o qual especifica o incremento para o crescimento automático pode ser definido em valores absolutos (KB, MB, GB ou TB) ou em valores percentuais, como por exemplo: 10%, 15%, etc.
  • O número máximo de Bancos de Dados que podemos ter em uma instância do SQL Server é 32.767.
  • Não podemos especificar valores decimais para os parâmetros SIZE, MAXSIZE e FILEGROWTH. Por exemplo, não posso ter SIZE= 2,5 MB. Ao invés disso devo fazer uma pequena conta, por exemplo: Cada MB possui 1024 KB, logo 2,5 MB = 2,5 x 1024 = 2560. Agora basta especificarmos SIZE= 2560KB.

Agora vamos aprender a utilizar o comando CREATE DATABASE com a opção de colocar alguns arquivos do Banco de Dados em outro Filegroup que não o Primário. Nos exemplos anteriores, como não especificamos em qual filegroup os arquivos (primário ou secundário) deveriam ser criados, estes foram criados no filegroup padrão que é o Primary Filegroup. Lembrando que filegroup é simplesmente um conceito que permite agruparmos, logicamente, um conjunto de arquivos e até mesmo tabelas e índices. Este agrupamento lógico pode ser utilizado para facilitar a distribuição dos arquivos ao longo de vários discos, facilitar as rotinas de backup, etc. Vamos aprender estas opções com o auxílio de um exemplo um pouco mais complexo do que os anteriores.

Exemplo prático:
Utilizar o comando CREATE DATABASE para criar um Banco de Dados chamado Exemplo4, com as características indicadas na Tabela 3.5.

Arquivo Definições
Primário C:\livrosql\exemplo4\exemplo4_prim.mdf.
Crescimento automático habilitado.
Tamanho inicial: 10 MB.
Tamanho máximo de 50 MB.
Crescimento em incrementos de 15%.
No filegroup Primary.
Secundário C:\livrosql\exemplo4\exemplo4_sec1.ndf.
Crescimento automático habilitado.
Tamanho inicial: 10 MB.
Tamanho máximo de 50 MB.
Crescimento em incrementos de 15 %.
No filegroup Primary.
Secundário C:\livrosql\exemplo4\exemplo4_sec2.ndf.
Crescimento automático habilitado.
Tamanho inicial: 10 MB.
Tamanho máximo de 50 MB.
Crescimento em incrementos de 5 MB.
No filegroup SalesGroup1.
Secundário C:\livrosql\exemplo4\exemplo4_sec3.ndf.
Crescimento automático habilitado.
Tamanho inicial: 10 MB.
Tamanho máximo de 50 MB.
Crescimento em incrementos de 5 MB.
No filegroup SalesGroup1
Secundário C:\livrosql\exemplo4\exemplo4_sec4.ndf.
Crescimento automático habilitado.
Tamanho inicial: 10 MB.
Tamanho máximo de 50 MB.
Crescimento em incrementos de 5 MB.
No filegroup SalesGroup2.
Secundário C:\livrosql\exemplo4\exemplo4_sec5.ndf.
Crescimento automático habilitado.
Tamanho inicial: 10 MB.
Tamanho máximo de 50 MB.
Crescimento em incrementos de 5 MB.
No filegroup SalesGroup2.
Arquivo de log C:\livrosql\exemplo4\exemplo4_log.ldf.
Crescimento automático habilitado.
Tamanho inicial: 5 MB.
Tamanho máximo de 25 MB.
Crescimento em incrementos de 5 MB.

Tabela 3.5 Banco de dados Exemplo4.

Observe que os arquivos serão salvos na pasta C:\livrosql\exemplo4. Criaremos o Banco de Dados Exemplo4 na instância SERVIDOR\SQL2005. Também nunca é demais lembrar que a pasta C:\livrosql\exemplo4 já deve existir, antes que o comando Create Database seja executado, senão o comando irá falhar e será gerada uma mensagem de erro.

Para criar o Banco de Dados Exemplo4, com as características definidas na Tabela 3.5, siga os passos indicados a seguir:

1.  Faça o logon com uma conta com permissão de Administrador.
2.  Abra o SQL Server Management Studio.
3.  Na janela Object Explorer, clique no sinal de + ao lado da instância SERVIDOR\SQL2005, para exibir as opções disponíveis.
4.  Clique com o botão direito do mouse na instância SERVIDOR\SQL2005 e, no menu de opões que é exibido, clique em New Query. Será aberta a janela para execução de comandos T-SQL, já descrita anteriormente.
5.  Digite o seguinte comando:

CREATE DATABASE Exemplo4
— Especifica o filegroup Primary
ON PRIMARY
( NAME = exemplo4_prim,
   FILENAME = ‘C:\livrosql\exemplo4\exemplo4_prim.mdf’,
   SIZE = 10,
   MAXSIZE = 50,
   FILEGROWTH = 15% ),
( NAME = exemplo4_sec1,
   FILENAME = ‘C:\livrosql\exemplo4\exemplo4_sec1.ndf’,
   SIZE = 10,
   MAXSIZE = 50,
   FILEGROWTH = 15% ),
— Os próximos arquivos serão associados com
— Filegroup SalesGroup1
FILEGROUP SalesGroup1
( NAME = exemplo4_sec2,
   FILENAME = ‘C:\livrosql\exemplo4\exemplo4_sec2.ndf’,
   SIZE = 10,
   MAXSIZE = 50,
   FILEGROWTH = 5 ),
( NAME = exemplo4_sec3,
   FILENAME = ‘C:\livrosql\exemplo4\exemplo4_sec3.ndf’,
   SIZE = 10,
   MAXSIZE = 50,
   FILEGROWTH = 5 ),
— Os próximos arquivos serão associados com
— Filegroup SalesGroup2
FILEGROUP SalesGroup2
( NAME = exemplo4_sec4,
   FILENAME = ‘C:\livrosql\exemplo4\exemplo4_sec4.ndf’,
   SIZE = 10,
   MAXSIZE = 50,
   FILEGROWTH = 5 ),
( NAME = exemplo4_sec5,
   FILENAME = ‘C:\livrosql\exemplo4\exemplo4_sec5.ndf’,
   SIZE = 10,
   MAXSIZE = 50,
   FILEGROWTH = 5 )
LOG ON
( NAME = exemplo4_log,
   FILENAME = ‘C:\livrosql\exemplo4\exemplo4_log.ldf’,
   SIZE = 5MB,
   MAXSIZE = 25MB,
   FILEGROWTH = 5MB )

Vamos repetir esta observação porque ela é importante. Veja que estamos utilizando o caractere de sublinhado _ para os nomes lógicos, pois não podemos utilizar o sinal de menos -, o qual não é um caractere válido para um nome lógico. Se utilizarmos o sinal - , ao executarmos o comando obteremos a seguinte mensagem de erro:

Server: Msg 170, Level 15, State 1, Line 14
Line 14: Incorrect syntax near ‘-’.

Vamos repetir este aviso porque o mesmo é importante: Antes de executar este comando, a pasta C:\livrosql\exemplo4 já deve ter sido criada, caso contrário será exibida uma mensagem de erro.

Ao executar este comando, se você não tiver cometido nenhum erro de digitação, o Banco de Dados Exemplo4 terá sido criado e a seguinte mensagem é exibida na guia Messages:

Command(s) completed successfully.

Esta mensagem é a confirmação de que o Banco de Dados foi criado com sucesso. Agora vamos verificar se o Banco de Dados Exemplo4 foi realmente criado.

Exemplo prático:
Verificando se o Banco de Dados Exemplo4 foi realmente criado:

1.  Abra o SQL Server Management Studio (já deve estar aberto do exemplo anterior).
2.  Na janela Object Explorer, clique no sinal de mais ao lado da instância SERVIDOR\SQL2005 para expandi-la (use a instância disponível no computador que você está utilizando).
4.  Clique no sinal de mais ao lado de Databases para expandi-la.
5.  Observe que o banco de dados Exemplo4 já deve aparecer na listagem de Banco de Dados. Caso o banco de dados Exemploe ainda não esteja sendo exibido, clique na opção Databases para selecioná-la e pressione a tecla F5 para atualizar a visão.

Agora que aprendemos a utilizar o comando CREATE DATABASE, vamos aprender mais alguns comandos T-SQL para o trabalho com Bancos de Dados.

Fundamentos em: Alteração de Bancos de Dados Usando Comandos T-SQL:

Pré-Requisitos:

  • Noções dos conceitos básicos sobre Bancos de Dados Relacionais.
  • Saber utilizar a janela para execução de comandos T-SQL.
  • Conhecer a estrutura de armazenamento de um Banco de Dados do SQL Server 2005.

Metodologia:

  • Apresentação dos comandos T-SQL para alteração de Bancos de Dados.

Técnica:

  • Alteração de Bancos de Dados utilizando os comandos apresentados.

Com o comando ALTER DATABASE podemos fazer uma série de alterações em um Banco de Dados, como por exemplo adicionar arquivos secundários e arquivos de log. A seguir, temos a sintaxe oficial, segundo o Books OnLine, para o comando ALTER DATABASE:

ALTER DATABASE database
{ ADD FILE < filespec > [ ,...n ] [ TO FILEGROUP filegroup_name ]
| ADD LOG FILE < filespec > [ ,...n ]
| REMOVE FILE logical_file_name
| ADD FILEGROUP filegroup_name
| REMOVE FILEGROUP filegroup_name
| MODIFY FILE < filespec >
| MODIFY NAME = new_dbname
| MODIFY FILEGROUP filegroup_name {filegroup_property | NAME = new_filegroup_name }
| SET < optionspec > [ ,...n ] [ WITH < termination > ]
| COLLATE < collation_name >
}

Como a sintaxe descrita na documentação oficial não é o que se possa chamar de muito amistosa e nem de fácil entendimento, vamos aprender a utilizar este comando através de exemplos práticos.

Exemplo prático:
Alterar o Banco de Dados Exemplo3, criado anteriormente, adicionando um arquivo secundário e um arquivo de log, conforme orientações da Tabela 3.6

Arquivo Definições
Adicionar secundário C:\livrosql\exemplo3\exemplo3-sec1.ndf.
Crescimento automático habilitado.
Tamanho inicial: 12 MB.
Crescimento em incrementos de 20 %.
Tamanho máximo de 65 MB.
Adicionar arquivo de log C:\livrosql\exemplo3\exemplo3-log2.ldf.
Crescimento automático habilitado.
Tamanho inicial: 7 MB.
Crescimento em incrementos de 5%.
Tamanho máximo de 25 MB.

Tabela 3.6 Alterando o Banco de Dados Exemplo3.

Para alterar o Banco de Dados Exemplo3, siga os passos indicados a seguir:

1.  Faça o logon com uma conta com permissão de Administrador.
2.  Abra o SQL Server Management Studio.
3.  Na janela Object Explorer, clique no sinal de + ao lado da instância SERVIDOR\SQL2005, para exibir as opções disponíveis (utilize uma instância do SQL Server 2005, disponível no computador que você está utilizando).
4.  Clique com o botão direito do mouse na instância SERVIDOR\SQL2005 e, no menu de opões que é exibido, clique em New Query. Será aberta a janela para execução de comandos T-SQL, já descrita anteriormente.
5.  Digite o seguinte comando:

ALTER DATABASE Exemplo3
ADD FILE
(
NAME = exemplo3_sec2,
FILENAME = ‘c:\livrosql\exemplo3\exemplo3_sec2.ndf’,
SIZE = 12MB,
MAXSIZE = 65MB,
FILEGROWTH = 20%
)
GO
ALTER DATABASE Exemplo3
ADD LOG FILE
( NAME = exemplo3_log2,
  FILENAME = ‘c:\livrosql\exemplo3\exemplo3_log2.ldf’,
  SIZE = 7MB,
  MAXSIZE = 25MB,
  FILEGROWTH = 5%)

Obs.: Observe que após fecharmos o comando que adiciona um arquivo de dados - ADD FILE, precisamos inserir um comando GO, para que o primeiro arquivo ALTER DATABASE seja executado e o arquivo exemplo3_sec2.ndf seja adicionado. Após o GO é executado o segundo comando ALTER DATABASE, agora para adicionar um arquivo de LOG. Não posso utilizar na mesma seqüência de comandos ALTER DATABASE as opções ADD FILE e ADD LOG FILE. Por isso preciso de dois comandos ALTER DATABASE separados. A maneira de fazer com que mais do que um comando seja executado de uma única vez, é inserindo o comando GO.

7.         Ao executar este comando, se você não tiver cometido nenhum erro de digitação, o banco de dados Exemplo4 terá sido criado e a seguinte mensagem será exibida:

Command(s) completed successfully.

Esta mensagem é a confirmação de que o Banco de Dados Exemplo4 foi alterado com sucesso. Vamos a mais um exemplo prático

Exemplo prático:
Como remover um arquivo de um Banco de Dados, usando comandos T-SQL:

No comando a seguir, estamos utilizando o comando ALTER DATABASE para remover o arquivo exemplo3_log2 adicionado no exemplo anterior:

USE master
GO
ALTER DATABASE Exemplo3
REMOVE FILE exemplo3_log2
GO

Ao finalizar este comando é exibida a seguinte mensagem:

The file ‘exemplo3_log2’ has been removed.

Observe que o nome utilizado é o nome lógico e não o nome do arquivo e disco (C:\livrosql\exemplo3\exemplo3_log2.ndf). Bem, já estava na hora de apresentarmos alguma utilidade para o nome lógico do arquivo. A utilidade é exatamente esta, podemos nos referir ao nome lógico do arquivo nos comandos T-SQL, o que convenhamos, é bem mais fácil do que nos referir ao nome do arquivo no disco.

Exemplo prático:
Como modificar um arquivo de um Banco de Dados, usando comandos T-SQL:

No comando a seguir, eu utilizo o comando ALTER DATABASE para modificar o arquivo exemplo3_sec2 adicionado no exemplo anterior:

USE master
GO
ALTER DATABASE Exemplo3
MODIFY FILE
   (NAME = exemplo3_sec2,
   SIZE = 25MB)
GO

Ao finalizar este comando, é exibida a seguinte mensagem:

The command(s) completed successfully.

Fundamentos em Exclusão de Bancos de Dados com o Query Analyzer e com o Enterprise Manager:

Pré-Requisitos:

  • Noções dos conceitos básicos sobre Bancos de Dados Relacionais.
  • Conhecer e saber utilizar a interface do SQL Server Management Studio.
  • Saber utilizar a janela de execução de comandos T-SQL.
  • Conhecer a estrutura de armazenamento de um Banco de Dados do SQL Server 2005.

Metodologia:

  • Apresentação dos comandos T-SQL para exclusão de Bancos de Dados.

Técnica:

  • Exclusão de Bancos de Dados utilizando os comandos apresentados.

Uma vez que um Banco de Dados não seja mais necessário, podemos excluir o banco de dados do servidor SQL Server. A exclusão pode ser feita utilizando-se o SQL Server Management Studio ou o comando DROP DATABASE.

Para excluir um Banco de Dados com o SQL Server Management Studio, basta localizar o banco de dados a ser excluído, clicar com o botão direito do mouse sobre o banco de dados, e no menu de opções que surge, clicar na opção Delete.

Surgirá uma janela pedindo confirmação, conforme indicado na Figura 3.34.


Figura 3.34 Confirmando a exclusão de um Banco de Dados.

Para excluir um Banco de Dados usando a janela de execução de comandos T-SQL, utilizamos o comando DROP DATABASE, conforme ilustrado nos exemplos a seguir.

Para excluir o Exemplo4 utilize o seguinte comando:

DROP DATABASE Exemplo4

Ao executar este comando, no Query Analyzer, será exibida a seguinte mensagem:

Command(s) completed successfully.

Ao excluir um Banco de Dados utilizando o comando DROP DATABASE, não será pedida confirmação. Fique atento a este detalhe.

Podemos excluir mais do que um Banco de Dados. Para isto basta separar o nome dos Bancos de Dados a serem excluídos com vírgula, conforme indicado no exemplo a seguir:

DROP DATABASE Exemplo4, Exemplo3

Este comando irá excluir os bancos de dados Exemplo3 e Exemplo4. Se um dos bancos de dados a ser excluído, não existir, será gerada uma mensagem de erro, semelhante a indicada a seguir:

Msg 3701, Level 11, State 1, Line 1
Cannot drop the database 'Exemplo4', because it does not exist or you do not have permission.

« Lição anterior Δ Página principal ¤ Capítulos Próxima lição »

Best Sellers de Excel do Julio Battisti

Todos com Vídeo Aulas, E-books e Planilhas de Bônus!

Aprenda com Júlio Battisti:
Excel 2010 Básico em 140 Lições - Através de Exemplos Práticos - Passo a Passo

 Aprenda com Júlio Battisti: Excel 2010 Básico em 140 Lições - Através de Exemplos Práticos

 

Autor: Júlio Battisti | Páginas: 540 | Editora: Instituto Alpha

 

[Livro]: Aprenda com Júlio Battisti: Excel 2010 Básico em 140 Lições - Através de Exemplos Práticos

Aprenda com Júlio Battisti: Excel 2010 Avançado, Análise de Dados, Tabelas Dinâmicas, Funções Avançadas, Macros e Programação VBA - Passo a Passo

Livro: Aprenda com Júlio Battisti: Excel 2010 Avançado, Análise de Dados, Tabelas Dinâmicas, Funções Avançadas, Macros e Programação VBA - Passo a Passo

 

Autor: Júlio Battisti | Páginas: 952 | Editora: Instituto Alpha

 

Livro: Aprenda com Júlio Battisti: Excel 2010 Avançado, Análise de Dados, Tabelas Dinâmicas, Funções Avançadas, Macros e Programação VBA - Passo a Passo

Aprenda com Júlio Battisti: Macros e Programação VBA no Excel 2010 Através de Exemplos Práticos e Úteis - Passo a Passo

 

[LIVRO]: Aprenda com Júlio Battisti: Macros e Programação VBA no Excel 2010 Através de Exemplos Práticos e Úteis - Passo a Passo

 

Autor: Júlio Battisti | Páginas: 1124 | Editora: Instituto Alpha

 

[LIVRO]: Aprenda com Júlio Battisti: Macros e Programação VBA no Excel 2010 Através de Exemplos Práticos e Úteis - Passo a Passo

Aprenda com Júlio Battisti: Excel 2010 - Curso Completo - Do Básico ao Avançado, Incluindo Macros e Programação VBA - Através de Exemplos Práticos

 

[A BÍBLIA DO EXCEL]: Aprenda com Júlio Battisti: Excel 2010 - Curso Completo - Do Básico ao Avançado, Incluindo Macros e Programação VBA - Através de Exemplos Práticos Passo a Passo

 

Autor: Júlio Battisti | Páginas: 1338 | Editora: Instituto Alpha

 

[A BÍBLIA DO EXCEL]: Aprenda com Júlio Battisti: Excel 2010 - Curso Completo - Do Básico ao Avançado, Incluindo Macros e Programação VBA - Através de Exemplos Práticos Passo a Passo

Todos os livros com dezenas de horas de vídeo aulas de bônus, preço especial (alguns com 50% de desconto). Aproveite. São poucas unidades de cada livro e por tempo limitado.

Dúvidas?

Utilize a área de comentários a seguir.

Me ajude a divulgar este conteúdo gratuito!

Use a área de comentários a seguir, diga o que achou desta lição, o que está achando do curso.
Compartilhe no Facebook, no Google+, Twitter e Pinterest.

Indique para seus amigos. Quanto mais comentários forem feitos, mais lições serão publicadas.

Quer receber novidades e e-books gratuitos?
›››

Novidades e E-books grátis

Fique por dentro das novidades, lançamento de livros, cursos, e-books e vídeo-aulas, e receba ofertas de e-books e vídeo-aulas gratuitas para download.



Institucional

  • Quem somos
  • Garantia de Entrega
  • Formas de Pagamento
  • Contato
  • O Autor
  • Endereço

  • Júlio Battisti Livros e Cursos Ltda
  • CNPJ: 08.916.484/0001-25
  • Rua Vereador Ivo Cláudio Weigel, 537 Universitário
  • Santa Cruz do Sul/RS
  • CEP 96816-208
  • Todos os direitos reservados, Júlio Battisti 2001-2017 ®

    [LIVRO]: MACROS E PROGRAMAÇÃO VBA NO EXCEL 2010 - PASSO-A-PASSO

    APRENDA COM JULIO BATTISTI - 1124 PÁGINAS: CLIQUE AQUI