[A BÍBLIA DO VBA NO ACCESS]: MACROS E PROGRAMAÇÃO VBA NO ACCESS - CURSO COMPLETO

Páginas: 1164 | Autor: Júlio Battisti | 50% de Desconto e 21 Super Bônus

Você está em: PrincipalArtigosWindows 7 › Capítulo 17 : 14
Quer receber novidades e e-books gratuitos?
›››
« Lição anterior Δ Página principal ¤ Capítulos Próxima lição »
WINDOWS 7 - CURSO COMPLETO - 2400 páginas
Autor: Júlio Battisti


Promoção: Livro Windows Server 2012 R2 e Active Directory - Curso Completo, 2100 Páginas. Tudo para você se tornar um administrador de redes altamente qualificado para o mercado de trabalho e levar a sua carreira para o próximo nível!

Promoção: Livro Windows Server 2012 R2 e Active Directory

Curso Completo, 2100 páginas. Tudo para você se tornar um administrador de redes altamente qualificado para o mercado de trabalho e levar a sua carreira para o próximo nível!


Lição 342 - Capítulo 17 - Comandos de Manutenção do Windows

Pode parecer estranho o uso de comandos em plena época de Interface Gráfica. Mas como procurarei mostrar neste tópico, as vezes podemos fazer pequenos milagres com o uso de comandos. E em determinadas situações, somente o uso de comandos poderá nos ajudar. Então, percamos o preconceito em relação aos bons e velhos comandos e vamos aprender a utilizá-los.

Quem começou a trabalhar com Informática no final dos anos 80 (como é o meu caso em que fui apresentado ao computador em Agosto de 1989, quando cursava o segundo semestre de Engenharia Elétrica na UFSM), se lembra muito bem do MS-DOS 3.3, onde tudo eram comandos. Interface gráfica era novidade para os usuários do DOS. Somente o pessoal dos Macintosh que já usavam a mais tempo a interface gráfica. Lembro que o primeiro Windows que eu utilizei foi o Windows 3.1. Ícones, mouse, janelas e outras coisas tão comuns hoje em dia, foram novidades que assustaram um pouco. Mas hoje em dia, tenho certeza, ninguém quer voltar para o ambiente de linha de comando, sem uma bonita e funcional interface gráfica.

Agora temos outro ponto de vista para analisar. Apesar de toda a funcionalidade, beleza e praticidade das interfaces gráficas (principalmente no Windows 7, onde o visual da Interface Gráfica está bem caprichado), em determinadas situações, ainda temos que utilizar os bons e velhos comandos. Existem milhares (literalmente), de comandos no Windows 7 e cada comando pode ter uma ou mais opções. Apenas para ilustrar, o comando ipconfig, sem opções, exibe apenas informações básicas sobre o protocolo TCP/IP. Já ipconfig /all exibe informações completas e detalhadas. Ou ainda uma terceira opção: ipconfig /flushdns limpa o Cache local do DNS e pode ser útil em situações onde um site esteve fora do ar, voltou, mas mesmo assim você não consegue acessar o site. Nestes casos, pode ser que tenha ficado no cache do DNS, uma referência de número IP incorreto, associado com o endereço do site. Ao usar o comando ipconfig /flushdns, você limpa o cache local do DNS, forçando o Windows a encontrar novamente o endereço IP associado ao respectivo site. Uma vez encontrado o IP correto, o site volta a ser acessado. Este é apenas um exemplo bem simples, mas extremante prático e que ocorre no nosso dia-a-dia. Ou seja, muitas vezes o usuário se encontra numa situação como a deste exemplo e, sem saber o que fazer para resolver (bastaria um comando ipconfig /flushdns), ele fecha todos os documentos e reinicializa o computador. Ou seja, uma perda e tanto de tampo, por não conhecer  um comando bem simples.

Eu vou começar este tópico falando um pouco mais sobre o Ambiente de execução de comandos, o qual recebe o nome de Prompt de Comando. A maioria dos usuários quando vê uma janela do Prompt de Comando, solta a seguinte afirmação: “Olha só o bom e velho DOS”.

O Prompt de Comando:

Muitos dos comandos de administração do Windows 7, só podem ser executados se você abrir o Prompt de Comando com permissões de Administrador. Para fazer isso é bem simples, conforme demonstrarei no exemplo prático a seguir. Neste exemplo mostrarei apenas como abrir o Prompt de Comando. Nos demais exemplos deste tópico, eu não irei repetir todos os passos necessários para abrir o Prompt de Comando. Eu apenas solicitarei que você abra o Prompt de Comando, com permissões de Administrador.

Exemplo Prático: Para abrir o Prompt de Comando, com permissões Administrativas, siga os passos indicados a seguir:

1.         Faça o logon no Windows 7.

2.         Clique em Iniciar -> Todos os Programas -> Acessórios e clique com o botão direito do mouse na opção Prompt de Comando.

3.         No menu de opções que é exibido clique em Executar como Administrador.

4.         Poderão ocorrer duas situações diferentes:

  • Se você estiver logado com uma conta com permissão de Administrador, será exibida a janela de Controle de Contas do Usuário, pedindo que sua permissão para Continuar. Clique no botão Sim e pronto, será aberta a janela do Prompt de Comando, indicada na Figura 17.48 (parece ou não parece o bom e velho MS-DOS??).
  • Se você não estiver logado com uma conta com permissão de Administrador, será exibida uma janela com a lista de contas com permissão de Administrador e, por padrão, solicitando que você digite a senha da conta Administrador. Se você souber a senha de uma outra conta com permissão de Administrador, pode clicar nesta conta e fornecer a respectiva senha. Uma vez fornecida uma senha de uma das contas com permissão de Administrador, será aberto o Prompt de Comando, conforme exemplo indicado na Figura 17.48 (parece ou não parece o bom e velho MS-DOS??):

Curso Completo de Windows 7 - Júlio Battisti

Figura 17.48 – O Prompt de Comando.

5.         Muito bem, estes são os passos para abrir o Prompt de Comando, com permissão de Administrador. Nos próximos exemplos eu não irei repetir todos estes passos. Apenas vou dizer “Abra o prompt de comando com permissão de Administrador”.

Parece realmente uma janela do MS-DOS e, muitos dos comandos que existiam no MS-DOS ainda estão bem presentes, no Windows 7.

Por exemplo, o comando dir, que exibe a lista de pastas e arquivos do diretório atual, ainda funciona, como nos tempos do MS-DOS.

Por exemplo, experimente abrir um Prompt de Comando, digitar dir e pressionar Enter. Pronto, será exibida uma listagem de todas as pastas e arquivos da patas atual. Como por padrão o Prompt de comando abre como pasta atual a pasta C:\Windows\System32, a lista será bastante longa e ficará “correndo” na tela.

Experimente agora o comando dir /w

Observe que a listagem é exibida em colunas.

Este exemplo serve para ilustrar uma das características dos comandos. Todo comando tem opções, as quais modificam os resultados retornados pelo comando. As opções normalmente são letras precedidas por uma barra. Por exemplo, o comando dir tem as opções /w /a e assim por diante. Se você digitar dir /?, será exibida uma tela com informações completas sobre o comando dir.

Por exemplo, ao digitar dir /? E pressionar Enter, serão exibidas as seguintes informações:

****************************************************************************

Exibe uma  lista de arquivos e subdiretórios em um diretório.
DIR  [unidade:][caminho][arquivo] [/A[[:]atributos]] [/B] [/C] [/D] [/L] [/N]
  [/O[[:]ordem_de_classificação]] [/P] [/Q]  [/R] [/S] [/T[[:]campo_de_tempo]]
  [/W] [/X] [/4]
  [unidade:][caminho][nome_de_arquivo]
             Especifica a unidade, o diretório  e/ou arquivos a serem listados.
  /A          Exibe arquivos com atributos especificados.
  atributos         D  Diretórios                                      R  Arquivos somente leitura
                        H  Arquivos ocultos               A  Arquivos prontos para arquivamento
                        S  Arquivos de sistema          I  Arquivos sem conteúdo indexado
                        L  Pontos de nova análise  -   Prefixo significando negação
  /B          Usa formatação básica (sem informações de cabeçalho ou resumo).
  /C          Exibe o separador de milhar em tamanhos de arquivos. É o 
             padrão.  Use /-C para desabilitar a exibição do  separador.
  /D          O mesmo que amplo, mas os arquivos são classificados na lista por coluna.
  /L          Usa letras minúsculas.
  /N          Novo formato de lista longo onde os nomes de arquivos estão à extrema  direita.
  /O          Lista por arquivos na ordem classificada.
  ordem_de_classificação
             N Por nome (alfabético)     S Por tamanho (menor primeiro)
             E Por extensão (alfabética) D Por  data/hora(mais antiga primeiro)
             G Grupo de diretórios  primeiro  -  Prefixo para inverter a ordem
  /P          Pausa após cada tela de informações.
  /Q          Exibe o proprietário do arquivo.
  /R          Exibe fluxos de dados alternados do arquivo.
  /S          Exibe os arquivos no diretório especificado e em todos os subdiretórios.
  /T          Controla qual campo de tempo é exibido ou usado na classificação  campo_de_tempo  
C  Criação
                        A  Último Acesso
                        W  Última Gravação
                  W  Última Gravação
  /W          Usa o formato de lista amplo.
  /X          Exibe os nomes curtos gerados para nomes de arquivos
              diferentes do formato 8.3. O  formato é /N com o nome curto
              inserido antes do nome longo. Se  nenhum nome curto estiver
               presente, serão exibidos espaços  no seu lugar.
  /4           Exibe anos de quatro dígitos
As opções podem estar predefinidas na variável de ambiente DIRCMD.
Substituir nas opções predefinidas ao prefixar qualquer opção com - (hífen)--por exemplo, /-W.

***************************************************************************

Observe como um simples comando para listar pastas e arquivos pode ter um grande número de opções. Se você ainda lembra dos comandos cd, md, rd, del, copy e tantos outros da época do MS-DOS, saiba que todos eles continuam existindo no Windows 7.

Experimente digitar o comando cls e pressionar Enter. Sim, ele ainda funciona e é usado para limpar a tela do Prompt de Comando.

Se você está em dúvidas sobre as opções disponíveis para um determinado comando, basta digitar o comando, um espaço a barra normal / e o sinal de interrogação (?) e pressionar Enter. Será exibida uma tela com explicações detalhadas sobre o comando.

Existem livros inteiros só sobre os Comandos do Windows 7 e sobre a administração de redes baseadas no Windows Server, Windows XP e Windows 7, através de comandos e Scripts. Uma abordagem com esta profundidade está fora do Escopo deste livro (até por que se eu fosse abordar todos os aspectos possíveis do Windows 7 eu não iria terminar nunca o livro e ele ficaria com umas 20 ou 30 mil páginas).

Dica: Quando você for usar um nome de pasta ou de arquivo, juntamente com um comando, se o nome da pasta ou arquivo contiver espaços em branco, você deve informar o nome entre aspas.

Vamos ver algumas dicas sobre configurações e utilização da janela do Prompt de Comando. Depois passaremos ao que interessa, efetivamente, que é usar alguns comandos relacionados à manutenção e correção de erros no Windows 7, bem como passar algumas dicas sobre comandos e ações preventivas, que devem ser executadas, periodicamente, para ajudar a prevenir problemas.

Exemplo Prático: Para Configurar e Utilizar a janela do Prompt de Comando, siga os passos indicados a seguir:

1.         Abra um prompt de comando com permissões de Administrador.

2.         Para acessar as propriedades do Prompt de Comando, clique no menu de controle, no canto superior esquerdo da tela e, no menu de opções que é exibido, clique em Propriedades, conforme indicado na Figura 17.49:

Curso Completo de Windows 7 - Júlio Battisti

Figura 17.49 – Acessando as Propriedades do Prompt de Comando.

3.         Clicando em Propriedades, será aberta a janela de Propriedades do Prompt de Comando, conforme indicado na Figura 17.50:

Curso Completo de Windows 7 - Júlio Battisti

Figura 17.50 – Propriedades do Prompt de Comando.

4.         Na guia Geral, que vem selecionada por padrão você pode configurar o tamanho do cursor (Pequeno, Médio ou Grande), no grupo Histórico de comandos você pode definir quantos comandos serão mantidos no Buffer de comandos. O padrão é 50 comandos. Quando você está no Prompt de Comando, você pode usar a tecla com a seta para cima, para voltar os comandos já executados e a seta para baixo para voltar no sentido contrário. Esta é uma opção útil quando você precisa executar o mesmo comando, repetidas vezes, apenas alterando uma ou mais opções do comando. Neste caso você executa o comando e depois pressiona a seta para cima, para exibir todo o comando novamente e só altera a opção necessária e pressiona Enter para executá-lo. Este recurso poupa você de ter que digitar todo o comando novamente, o que evita erros e poupa um bom tempo, quando temos que executar um comando repetidas vezes, apenas com opções diferentes. No grupo Opções de Edição, temos a opção Modo de Edição rápida e Modo de inserção. O Modo de Edição Rápida permite que você utilize um dispositivo indicador (com por exemplo o mouse) para selecionar o conteúdo da janela do Prompt de Comando. Já o Modo de inserção permite que você insira o texto no cursor. Se não estiver selecionado, o texto que é digitado no cursor substitui o texto existente. É equivalente a ligar ou desligar a opção Insert no teclado.

5.         Dê um clique na guia Fonte. Nesta guia você pode selecionar o tipo de fonte e o tamanho da fonte a ser utilizado na janela do Prompt de Comando.

6.         Dê um clique na guia Layout. Nesta guia você define as opções que irão definir a aparência do Prompt de Comando. Você pode definir o tamanho da janela (Largura e Altura), o número de linhas a ser mantido no Buffer e a posição da janela do Prompt de comando, no vídeo.

7.         Dê um clique na guia Cores. As cores padrão para o Prompt de Comando são cor de fonte branca e cor de fundo preta. Mas você pode alterar estas opções, usando as opções disponíveis nesta guia. Você marca o item a ser alterado e depois clica na cor desejada. Por exemplo, para definir uma cor de fonte verde, você marca a opção Texto da tela e depois clica na cor desejada.

8.         Feitas as configurações desejadas é só clicar em OK para aplicá-las.

9.         Se a opção Modo de edição rápida, da guia Geral estiver selecionada, você pode selecionar o texto da janela do Prompt de Comando, usando o mouse, da mesma maneira que você seleciona texto com o mouse no Word. Uma vez selecionado o texto você pode pressionar a Tecla Enter, para copiar o texto selecionado para a Área de Trabalho. Depois é só ir no programa de destino, como por exemplo no Word, e colar o texto.

11.       O comando sempre é executado no diretório atual. O diretório atual é o equivalente a pasta atualmente selecionada no Windows Explorer. Por padrão, quando você abre um Prompt de comando, a pasta atual é C:\Windows\System32 (supondo que o Windows 7 esteja instalado no C:)

12.       Para alterar a pasta atual você usa o comando cd. É, esse mesmo, o bom e velho cd que existe desde o DOS 1.0. Por exemplo, se você está em C:\Windows\System32 e digitar cd.. e pressionar Enter, você volta para C:\Windows, ou seja, a pasta atual torna-se a pasta C:\Windows. Estando em C:\Windows, se você executar novamente o comando cd.., você voltará para o C:\ , ou seja, a raiz do drive C: Estando na raiz do drive C:, você pode usar o comando cd Windows, para ir para a pasta Windows, ou você poderia usar o comando cd Windows\system32 para pular diretamente do C: para o C:\Windows\System32. Estando em qualquer pasta, você pode usar o comando cd \, para voltar a raiz do volume atual.

13.       Você pode redirecionar a saída de um comando. Por padrão, quando você executa um comando, a saída do comando é exibida na tela. Por exemplo, quando você executa o comando dir, é exibida, na tela, uma listagem com todas as pastas e arquivos do diretório atual. Se você quiser, ao invés de exibir na tela, redirecionar a saída para um arquivo, basta usar o redirecionador > (sinal de maior). Por exemplo, para gravar em um arquivo chamado pastasearquivos.txt, a listagem de todas as pastas e arquivos da pasta atual, basta executar o seguinte comando:

dir > pastasearquivos.txt

O comando dir será executado e o resultado do comando será gravado em um arquivo texto, chamado pastasearquivos.txt, na pasta atual.

14.       Você pode fazer com que seja executado mais de um comando, separando os comandos por um E comercial &. Por exemplo, o comando a seguir grava a lista de pastas e arquivos do diretório atual, no arquivo lista.txt e depois abre este arquivo usando o Bloco de notas. Experimente o seguinte comando e observe o resultado:

dir > lista.txt & notepad lista.txt

15.       O resultado deste comando está indicado na Figura 17.51. O comando dir gerou uma listagem com o nome das pastas e arquivos da pasta atual. O redirecionador > fez com que esta listagem fosse gravada no arquivo lista.txt. O E comercial &, informou ao Prompt de comando que mais um comando deveria ser executado. O comando notepad lista.txt foi executado. Este comando abre o Bloco de Notas e carrega o arquivo lista.txt. É muito mais simples de usar do que de explicar e o pior é que funciona que é uma beleza. Parece que eu estou vendo, já tem gente com saudades do bom e velho MS-DOS.

Curso Completo de Windows 7 - Júlio Battisti

Figura 17.51 – Executando mais de um comando por vez.

16.       Para sair do Prompt de Comando basta digitar exit e pressionar Enter.

Muito bem, sobre o básico para o uso do Prompt de comando era isso. Agora vamos ao que realmente interessa, ou seja, aprender a usar alguns comandos úteis para o gerenciamento e manutenção do Windows 7 em Funcionamento.

Comandos úteis para o Gerenciamento e Administração do Windows 7:

Neste tópico veremos mais detalhes sobre os seguintes comandos:

  • sc
  • sfc
  • chkdsk
  • chkntfs

O comando sc:

Se existe um comando realmente poderoso é o comando sc. Este comando pode ser utilizado para gerenciar os serviços instalados no seu computador ou em qualquer computador da sua rede (desde que você tenha as devidas permissões). Você também pode usar este comando para gerenciar os drivers instalados no seu computador ou em qualquer computador da sua rede (desde que você tenha as devidas permissões).

Daria para escrever um capítulo inteiro sobre este comando, pois ele tem dezenas de maneiras de ser utilizado, dezenas de opções e chaves. No endereço a seguir, você encontra uma referência completa sobre este comando:

http://www.microsoft.com/resources/documentation/windows/xp/all/proddocs/en-us/sc.mspx

Dica: Você também pode obter informações detalhadas sobre este comando, digitando sc /? no Prompt de Comando e pressionando Enter.

Neste tópico vamos ver alguns exemplos dos usos mais comuns para este comando. A seguir uma descrição simplificada da sintaxe deste comando e de suas principais opções, conforme informado pelo comando sc /?

***********************************************************************

USO:

        sc <computador> [comando]  [nome_do_serviço] <opção1> <opção2>...

        A opção <computador> tem a forma "\\Nome_do_Computador"

        Nota: Para obter mais ajuda sobre os comandos, digite: "sc [comando]"

        Comandos utilizados juntamente com o comando sc:

config

Altera a configuração de um serviço (persistente).

continue

Envia uma solicitação de controle CONTINUE para um serviço.

control

Envia um controle para um serviço.

create

Cria um serviço (adiciona-o ao Registro).

delete

Exclui um serviço (do Registro).

description

Altera a descrição de um serviço.

EnumDepend

Enumera Dependências de Serviço.

failure

Altera as ações executadas por um serviço durante uma falha.

failureflag

Altera o sinalizador de ações de falha de um serviço.

GetDisplayName

Obtém o DisplayName de um serviço.

GetKeyName

Obtém o ServiceKeyName de um serviço.

interrogate

Envia uma solicitação de controle INTERROGATE para um serviço.

pause

Envia uma solicitação de controle PAUSE para um serviço.

privs

Altera os privilégios necessários de um serviço.

qc

Consulta as informações de configuração de um serviço.

qdescription

Consulta a descrição de um serviço.

qfailure

Consulta as ações executadas por um serviço durante uma falha.

qfailureflag

Consulta o sinalizador de ações de falha de um serviço.

qprivs

Consulta os privilégios necessários de um serviço.

qsidtype

Consulta o tipo de SID de um serviço.

query

Consulta o status de um serviço ou enumera o status dos tipos de serviço

queryex

Consulta o status estendido de um serviço ou enumera o status dos tipos de serviço.

sdset

Define o descritor de segurança de um serviço.

sdshow

Exibe o descritor de segurança de um serviço.

showsid

Exibe a seqüencia de caracteres de SID correspondente a um nome arbitrário.

sidtype

Altera o tipo de SID de um serviço.

start

Inicia um serviço.

stop

Envia uma solicitação STOP para um serviço.

Os seguintes comandos não exigem um nome de serviço:

        sc <computador> <comando> <opção>

          boot------------(ok | bad) Indica se a última inicialização deve ser salva como última configuração de inicialização válida.

          Lock------------Bloqueia o Banco de Dados do Serviço.

          QueryLock-------Consulta o LockStatus do Banco de Dados SCManager.

Cada um destes comandos tem várias opções associadas. Para obter mais informações sobre uma das opções, basta digitar sc opção Por exemplo, para mais detalhes sobre a opção start, basta usar o seguinte comando

sc start

Vamos a alguns exemplos práticos de uso do comando sc.

Exemplo 01: Listar todos os serviços instalados no computador:

sc queryex

Vamos melhorar um pouco o nosso exemplo. Vamos redirecionar a saída para um arquivo serviços.txt e abrir este arquivo no bloco de notas. Experimente o seguinte comando:

sc queryex  > servicos.txt & notepad servicos.txt

Este comando irá gerar uma lista de todos os serviços instalados no seu computador, com informações detalhadas para cada serviço, irá gravar estas informações no arquivo servicos.txt, na pasta atual e irá abrir este arquivo no Bloco de Notas, conforme exemplo da Figura 17.52:

Curso Completo de Windows 7 - Júlio Battisti

Figura 17.52 – Lista de Serviços do Computador.

Observe que uma das informações sobre cada serviço é o nome do serviço. Você pode usar o nome para parar ou iniciar um determinado serviço.

Exemplo 02: Para iniciar um serviço, use o seguinte comando:

sc start  Nome_do_Serviço

Por exemplo, para iniciar o serviço Spooler, caso este serviço não tenha sido iniciado, use o seguinte comando:

sc start  spooler

Você também pode iniciar o serviço spooler em um computador remoto, através da rede (desde que você tenha as devidas permissões). Por exemplo, para iniciar o serviço spooler, em um computador chamado servidor01, use o seguinte comando:

sc  servidor01 start spooler

Nota: Para parar um serviço, basta usar a opção stop do comando sc.

Exemplo 03: Podemos listar quais serviços dependem de um determinado serviço. Por exemplo, execute o seguinte comando:

sc enumdepend spooler

Você obterá o seguinte resultado:

NOME_DO_SERVIÇO: Fax

NOME_PARA_EXIBIÇÃO: Fax

        TIPO               : 10  WIN32_OWN_PROCESS

        ESTADO              : 1  STOPPED

        CÓDIGO_DE_SAÍDA_DO_WIN32    : 1077  (0x435)

        CÓDIGO_DE_SAÍDA_DO_SERVIÇO  : 0  (0x0)

        PONTO_DE_VERIFICAÇÃO         : 0x0

        AGUARDAR_DICA          : 0x0

Este resultado indica que o serviço Fax depende do serviço Spooler, ou seja, se o serviço Spooler não estiver funcionando, o serviço Fax também não funcionará.

Muito bem, sobre o comando sc era isso. Você encontra a referência completa deste comando, no seguinte endereço:

http://www.microsoft.com/resources/documentation/windows/xp/all/proddocs/en-us/sc.mspx

O comando sfc:

Não confundir com o comando sc visto anteriormente. São parecidos no nome, mas com funções bem diferentes. Eu já havia citado este comando, bem rapidamente, em uma dica em um dos tópicos sobre recuperação do sistema, neste capítulo. Agora vamos ver este comando com mais detalhes.

Este é um comando realmente útil e pouco conhecido. Vamos desvendar um pouco mais sobre ele. Este comando é utilizado para verificar a integridade de todos os arquivos protegidos do sistema e substitui versões incorretas pelas versões corretas da Microsoft.

O comando sfc trabalha em conjunto com o recurso conhecido como recurso de proteção de arquivo do Windows, abreviado simplesmente como WFP – Windows File Protection. O WFP impede que programas substituam arquivos vitais para o funcionamento do Windows. Os programas não devem substituir esses arquivos porque eles são usados pelo sistema operacional e por outros programas. A proteção desses arquivos evita o surgimento de problemas e serve como uma forma de proteção, para evitar que crackers substituam arquivos vitais do Windows 7, por versões modificadas, as quais abram portas para ataques externos e para a instalação de vírus, trojans, spywares e outras pragas virtuais. Eu diria até que este é um recurso vital, indispensável para manter o Windows 7 funcionando bem e em segurança.

O recurso do WFP protege os arquivos de importância crítica do sistema instalados como parte do Windows (por exemplo, arquivos com extensões .dll, .exe, .ocx e .sys, e algumas fontes True Type). O recurso do WFP usa as assinaturas de arquivo e os arquivos de catálogo gerados pela assinatura de código para verificar se os arquivos protegidos do sistema, correspondem às versões corretas disponibilizadas pela Microsoft. Se for detectado que um dos arquivos monitorados foi modificado, ele será substituído por uma versão original do arquivo, mantida em uma área de Cache de disco, pelo próprio Windows.

Somente os seguintes itens tem permissão para substituir arquivos vitais do Windows, por novas versões:

  • Instalação de um Service Pack.
  • Hot fixes instalados com o uso de Hotfix.exe ou Update.exe.
  • O sistema operacional atualiza usando Winnt32.exe.
  • O recurso do Windows Update.

Dica: Para uma descrição completa sobre como funciona o recurso do WFP, quais arquivos são protegidos, onde fica a pasta com o Cache dos arquivos e todos os demais detalhes, acesse o seguinte endereço:

No Windows 7, a pasta de arquivos protegidos, por padrão, fica em C:\Windows\System32\Microsoft\Protect. Nas versões anteriores ficava no seguinte caminho: %systemroot%\system32\dllcache.

Vamos voltar ao comando sfc para entender suas opções. A sintaxe básica do comando sfc é a seguinte:

SFC [/SCANNOW] [/VERIFYONLY]  [/SCANFILE=<arquivo>] [/VERIFYFILE=<arquivo>]
[/OFFWINDIR=<diretório  offline windows> /OFFBOOTDIR=<diretório offline inicialização>]

Segue a descrição das opções deste comando

/SCANNOW: Verifica a integridade de todos os arquivos protegidos do sistema e repara os arquivos com problemas, quando possível. Este é o comando a ser utilizado, caso você receba uma mensagem de que um arquivo vital do Windows está faltando, tal como um dos arquivos necessários para inicialização do Windows. Antes de reinicializar o Windows e tentar usar recursos de recuperação tais como um Backup Completo ou o recurso de Restauração do Sistema, você pode tentar executar um sfc /scannow e aguardar (e torcer), para que o problema seja resolvido.

/VERIFYONLY: Verifica a integridade de todos os arquivos protegidos do sistema. Nenhuma  operação de reparo será executada.

/SCANFILE: Verifica a integridade do arquivo indicado e repara o arquivo se algum problema for identificado. Deve ser especificado o caminho completo para o arquivo.

/VERIFYFILE: Verifica a integridade do arquivo com caminho completo <arquivo>. Nenhuma operação de reparo será executada.

/OFFBOOTDIR: Para reparo offline, especifica a localização do diretório de inicialização offline.

/OFFWINDIR:  Para reparo offline, especifica a localização do diretório offline do Windows.

sfc /SCANNOW 
sfc  /VERIFYFILE=c:\windows\system32\kernel32.dll 

Se estiver tudo OK com o arquivo Kernel32.dll será retornada a seguinte mensagem:

A Proteção de Recursos do Windows não encontrou nenhuma violação de integridade.

sfc  /SCANFILE=d:\windows\system32\kernel32.dll /OFFBOOTDIR=d:\ /OFFWINDIR=d:\windows 
sfc /VERIFYONLY

O Comando Chkdsk:

Um item que pode dar problema é o HD do computador. E geralmente quando dá problema no HD, é problema sério. A maioria dos problemas com o HD são causados por instalações elétricas inadequadas, onde não são utilizados filtros de linha, não são utilizados estabilizadores ou No-breaks. Nestas condições de uso, submetido as oscilações da rede elétrica, o HD é um sério candidato a “pifar”. Porém a boa notícia é que antes de pifar (em alguns casos), o HD dá sinal de que algo não vai bem. Para encerrar este capítulo, veremos dois comandos que nos ajudam a mensurar como anda a saúde dos HDs do nosso computador. Se você detectar que um HD começa a apresentar problemas, tais como um grande número de setores defeituosos, o mais sensato a fazer é um ou dois bons backups e substituir o HD por outro novinho em folha. Como já diriam os mais sensatos, é muito melhor prevenir do que remediar.

Este comando é utilizado para criar e exibir um relatório de status para um ou mais discos do seu computador. O comando Chkdsk também lista e corrige erros no disco. Quando utilizado sem parâmetros, chkdsk exibe o status do disco na unidade atual.

Sintaxe para o comando chkdsk:

chkdsk  [volume:][[caminho] nome_de_arquivo] [/f] [/v] [/r] [/x] [/i] [/c]  [/l[:tamanho]]

A seguir temos a descrição de cada um dos parâmetros do comando chkdsk:

  • volume: Especifica a letra da unidade a ser verificada (seguida de dois-pontos), o ponto de montagem ou o nome do volume. Por exemplo: C:, D:, etc.
  • [caminho] nome_de_arquivo: Especifica o local e o nome de um arquivo ou conjunto de arquivos que chkdsk deve verificar para determinar se há fragmentação. Você pode utilizar caracteres curingas (isto é, * e ?) para especificar vários arquivos.
  • /f : Corrige erros no disco. O disco deve ser bloqueado. Se chkdsk não puder bloquear a unidade, será exibida uma mensagem perguntando se você deseja verificar a unidade na próxima vez que reiniciar o computador. Se você responder que sim, uma verificação será agendada para a próxima inicialização do sistema. Corresponde à opção “Corrigir erros do sistema de arquivos automaticamente”, da ferramenta Verificação de erros, descrita no tópico anterior.
  • /v: Em volumes formatados com FAT ou FAT32, exibe o nome de todos os arquivos contidos em cada pasta à medida que o disco é verificado. Em sistemas formatados com NTFS exibe mensagens de limpeza, se houver.
  • /r: Localiza setores defeituosos e recupera informações legíveis. O disco deve ser bloqueado. Se chkdsk não puder bloquear a unidade, será exibida uma mensagem perguntando se você deseja verificar a unidade na próxima vez que reiniciar o computador. Se você responder que sim, uma verificação será agendada para a próxima inicialização do sistema. Corresponde à opção “Procurar setores defeituosos e tentar recuperá-los”, da ferramenta Verificar erros, descrita no tópico anterior.
  • /x: Use esta opção somente com partições/volumes formatados com o sistema NTFS. Ela força primeiro a desmontagem do volume, se necessário. Todos os identificadores abertos para a unidade serão invalidados. A opção /x também inclui a funcionalidade da opção /f.
  • /i: Use esta opção somente com partições/volumes formatados com o sistema NTFS. Efetua uma verificação menos rígida das entradas de índice, reduzindo o tempo necessário para a execução de chkdsk.
  • /b: Use esta opção somente com partições/volumes formatados com o sistema NTFS. Avalia novamente clusters defeituosos no volume.
  • /c: Use esta opção somente com partições/volumes formatados com o sistema NTFS. Ela ignora a verificação de ciclos dentro da estrutura de pastas, reduzindo o tempo necessário para a execução de chkdsk.
  • /l[:tamanho]: Use esta opção somente com partições/volumes formatados com o sistema NTFS. Ela utilizará o tamanho digitado por você em vez do tamanho do arquivo de log. Se você omitir o parâmetro de tamanho, /l exibirá o tamanho atual.
  • /?: Exibe informações de ajuda no prompt de comando.

Para executar o comando chkdsk em um disco fixo, é necessário ser membro do grupo Administradores, ou seja, ter permissão de Administrador.

Nota: Para que chkdsk corrija erros no disco, não podem existir arquivos em uso na unidade. Se houver arquivos abertos na unidade a ser verificada, a seguinte mensagem de erro será exibida:

Não é possível executar CHKDSK porque o volume está em uso por outro processo. Deseja agendar a verificação deste volume para a próxima vez em que o sistema for reiniciado? (S/N)

Se você optar pela verificação da unidade na próxima vez que o computador for reiniciado, o comando chkdsk verificará a unidade e corrigirá os erros automaticamente na próxima vez em que o computador for reiniciado. Se a partição for uma partição de inicialização, chkdsk reiniciará automaticamente o computador depois de verificar a unidade.

O comando chkdsk examina o espaço em disco e a utilização do disco pelos sistemas de arquivos tabela de alocação de arquivos (FAT) e NTFS. O comando chkdsk fornece informações específicas de cada sistema de arquivos em um relatório de status. O relatório de status exibe os erros encontrados no sistema de arquivos. Se chkdsk for executado sem a opção de linha de comando /f em uma partição ativa, ele poderá reportar erros indesejáveis, pois não conseguirá bloquear a unidade. Você deve utilizar o comando chkdsk em cada disco periodicamente para verificar se há erros. Você pode utilizar o comando chkdsk para agendar uma tarefa que faça a verificação periódica das unidades e salve o relatório com os resultados da verificação em um arquivo de texto para verificação posterior.

O comando chkdsk só corrigirá erros de disco se você especificar a opção de linha de comando /f. É necessário que o comando chkdsk possa bloquear a unidade para corrigir os erros. Como a reparação geralmente altera a tabela de alocação de arquivos de um disco e, às vezes, causa perda de dados, o comando chkdsk enviará uma mensagem de confirmação semelhante a indicada a seguir:

10 unidades de alocação perdidas encontradas em 3 cadeias.

Deseja converter cadeias perdidas em arquivos?

Se você pressionar S, o Windows salvará cada cadeia perdida na pasta-raiz como um arquivo com um nome no formato de arquivo nnnn.chk. Quando o comando chkdsk for concluído, você poderá verificar esses arquivos para descobrir se contêm quaisquer dados necessários. Se você pressionar N, o Windows corrigirá o disco, mas não salvará o conteúdo das unidades de alocação perdidas.

Se você não usar a opção de linha de comando /f, chkdsk enviará uma mensagem se for necessário corrigir algum arquivo, mas não corrigirá nenhum erro.

Windows exibe relatórios de status de chkdsk referentes a um disco FAT no seguinte formato:

O número de série do volume é B1AF-AFBF

72.214.528 bytes de espaço total em disco

73.728 bytes em 3 arquivos ocultos

30.720 bytes em 12 pastas

11.493.376 bytes em 386 arquivos do usuário

61.440 bytes em setores defeituosos

60.555.264 bytes disponíveis no disco

2.048 bytes em cada unidade de alocação

35.261 unidades de alocação totais no disco

29.568 unidades de alocação disponíveis em disco

O Windows exibe relatórios de status de chkdsk referentes a um disco NTFS no seguinte formato:

O tipo do sistema de arquivos é NTFS.

CHKDSK está verificando os arquivos...

Verificação de arquivos concluída.

CHKDSK está verificando índices...

Verificação dos índices concluída.

CHKDSK está verificando os descritores de segurança...

Verificação de descritores de segurança concluída.

12.372 quilo bytes de espaço total em disco.

3 KB em 1 arquivo do usuário.

2 KB em 1 índice.

4.217 KB em uso pelo sistema.

8.150 KB disponíveis em disco.

512 bytes em cada unidade de alocação.

24.745 unidades de alocação totais no disco.

16.301 unidades de alocação disponíveis em disco.

Usando chkdsk com Arquivos Abertos:

Se você especificar a opção de linha de comando /f, chkdsk enviará uma mensagem de erro se forem encontrados arquivos abertos no disco. Se você não especificar a opção de linha de comando /f e existirem arquivos abertos, chkdsk poderá reportar a existência de unidades de alocação perdidas no disco. Isso poderá acontecer se os arquivos abertos ainda não tiverem sido gravados na tabela de alocação de arquivos. Se chkdsk reportar a perda de uma grande quantidade de unidades de alocação, é aconselhável reparar o disco.

A seguir temos a lista com os códigos de saída reportados por chkdsk após sua conclusão.

  • 0: Não foram encontrados erros.
  • 1: Foram encontrados erros e corrigidos.
  • 2: A limpeza de disco, como a coleta de lixo, foi efetuada, ou a limpeza não foi efetuada porque /f não foi especificado.
  • 3: Não foi possível verificar o disco, não foi possível corrigir os erros ou os erros não foram corrigidos porque a opção /f não foi especificada.

Para verificar o disco na unidade C e fazer com que o Windows corrija os erros, digite:

chkdsk C: /f

chkdsk fará uma pausa e exibirá mensagens, se encontrar erros. chkdsk será concluído exibindo um relatório que lista o status do disco. Você só poderá abrir qualquer arquivo na unidade especificada depois que chkdsk for concluído.

O Comando Chkntfs:

Este comando é utilizado para exibir ou especificar se a verificação automática do sistema está agendada para ser executada em um volume FAT, FAT32 ou NTFS quando o computador for iniciado.

Sintaxe para o comando chkntfs: chkntfs volume: [/opções]

Temos os seguintes opções/parâmetros para este comando:

  • volume: [...]: É obrigatório. Especifica a letra da unidade (seguida de dois-pontos), o ponto de montagem ou o nome do volume. Exibe uma mensagem que identifica o sistema de arquivos do volume especificado. Se a verificação automática de arquivos estiver agendada para ser executada, este parâmetro exibirá uma mensagem indicando se o volume foi ou não corrompido, o que exigirá que o comando chkdsk seja executado. O comando chkdsk foi descrito no item anterior.
  • /d: Restaura todas as configurações padrão de chkntfs, com exceção do tempo de contagem regressiva para a verificação automática de arquivos. O comportamento padrão é verificar todos os volumes quando o computador é iniciado e a execução do comando chkdsk é feita nas unidades que apresentarem problemas.
  • /t[:tempo]: Altera o tempo de contagem regressiva inicial de Autochk.exe para o tempo especificado em segundos. Se você não especificar :tempo, /t exibirá o tempo de contagem regressiva atual.
  • /x volume: [...]: Exclui o volume especificado da verificação quando o computador é iniciado, mesmo se o volume estiver marcado de modo a exigir que chkdsk seja executado.
  • /c volume: [...]: Agenda a verificação do volume especificado para quando o computador for iniciado. O comando chkdsk será executado automaticamente, se o volume estiver com problemas.
  • /?: Exibe informações de ajuda no prompt de comando.

Para executar chkntfs, é necessário que você seja membro do grupo Administradores.

Embora você possa definir o tempo de contagem regressiva inicial de Autochk.exe como zero, não será possível cancelar uma verificação automática de arquivos que levará provavelmente muito tempo se você defini-lo como zero.

Por exemplo, para agendar uma verificação automática, quando o sistema é inicializado, para o drive D:, utilize o seguinte comando:

chkntfs /c  D:


Promoção: Livro Windows Server 2012 R2 e Active Directory - Curso Completo, 2100 Páginas. Tudo para você se tornar um administrador de redes altamente qualificado para o mercado de trabalho e levar a sua carreira para o próximo nível!

Promoção: Livro Windows Server 2012 R2 e Active Directory

Curso Completo, 2100 páginas. Tudo para você se tornar um administrador de redes altamente qualificado para o mercado de trabalho e levar a sua carreira para o próximo nível!


« Lição anterior Δ Página principal ¤ Capítulos Próxima lição »

Livros Que O Júlio Battisti Indica:

Todos com excelentes bônus e pode parcelar no cartão!

Windows Server 2012 R2 e Active Directory

 Aprenda com Júlio Battisti: Access 2010 Básico em 140 Lições - Através de Exemplos Práticos

 

Autor: Júlio Battisti | Páginas: 2100 | Editora: Instituto Alpha

 

[Livro]: Aprenda com Júlio Battisti: Access 2010 Básico em 140 Lições - Através de Exemplos Práticos

Universidade Redes

Curso Online: Universidade de Redes

 

Autor: André Stato | Carga horária: 170h

 

Curso Online: Universidade de Redes

A Bíblia do Excel

 Aprenda com Júlio Battisti: Access 2010 Básico em 140 Lições - Através de Exemplos Práticos

 

Autor: Júlio Battisti | Páginas: 1338 | Editora: Instituto Alpha

 

[Livro]: Aprenda com Júlio Battisti: Access 2010 Básico em 140 Lições - Através de Exemplos Práticos

Macros e VBA no Access 2010

 Aprenda com Júlio Battisti: Access 2010 Básico em 140 Lições - Através de Exemplos Práticos

 

Autor: Júlio Battisti | Páginas: 1164 | Editora: Instituto Alpha

 

[Livro]: Aprenda com Júlio Battisti: Access 2010 Básico em 140 Lições - Através de Exemplos Práticos

Macros e VBA no Excel 2010

 Aprenda com Júlio Battisti: Access 2010 Básico em 140 Lições - Através de Exemplos Práticos

 

Autor: Júlio Battisti | Páginas: 1124 | Editora: Instituto Alpha

 

[Livro]: Aprenda com Júlio Battisti: Access 2010 Básico em 140 Lições - Através de Exemplos Práticos

Universidade Java

 Aprenda com Júlio Battisti: Access 2010 Básico em 140 Lições - Através de Exemplos Práticos

 

Autor: Neri Zeritzke | Duração: 250h | Aulas: 1922

 

[Livro]: Aprenda com Júlio Battisti: Access 2010 Básico em 140 Lições - Através de Exemplos Práticos

Todos os livros com dezenas de horas de vídeo aulas de bônus, preço especial (alguns com 50% de desconto). Aproveite. São poucas unidades de cada livro e por tempo limitado.

Dúvidas?

Utilize a área de comentários a seguir.

Me ajude a divulgar este conteúdo gratuito!

Use a área de comentários a seguir, diga o que achou desta lição, o que está achando do curso.
Compartilhe no Facebook, no Google+, Twitter e Pinterest.

Indique para seus amigos. Quanto mais comentários forem feitos, mais lições serão publicadas.

Quer receber novidades e e-books gratuitos?
›››

Novidades e E-books grátis

Fique por dentro das novidades, lançamento de livros, cursos, e-books e vídeo-aulas, e receba ofertas de e-books e vídeo-aulas gratuitas para download.



Institucional

  • Quem somos
  • Garantia de Entrega
  • Formas de Pagamento
  • Contato
  • O Autor
  • Endereço

  • Júlio Battisti Livros e Cursos Ltda
  • CNPJ: 08.916.484/0001-25
  • Rua Vereador Ivo Cláudio Weigel, 537 Universitário
  • Santa Cruz do Sul/RS
  • CEP 96816-208
  • Todos os direitos reservados, Júlio Battisti 2001-2017 ®

    [LIVRO]: MACROS E PROGRAMAÇÃO VBA NO EXCEL 2010 - PASSO-A-PASSO

    APRENDA COM JULIO BATTISTI - 1124 PÁGINAS: CLIQUE AQUI