NUNCA MAIS PASSE RAIVA POR NÃO CONSEGUIR RESOLVER UM PROBLEMA COM O EXCEL - GARANTIDO!

UNIVERSIDADE DO VBA - Domine o VBA no Excel Criando Sistemas Completos - Passo a Passo - CLIQUE AQUI

Você está em: PrincipalArtigosLinux : Linux002
Quer receber novidades e e-books gratuitos?

Apresentando o Linux ou GNU / LINUX

 

Apresentação

 

Este tutorial explicar de forma clara a origem do Linux. O que é software livre, o projeto GNU.

 

Vale apenas ler para ficar por dentro do Linux ou GNU/LINUX.

 

Como tudo começou?

 

Bem, um computador sem um sistema operacional para que as pessoas possam interagir, não serve para nada. Então, precisamos de um Sistema Operacional para o computador.

 

Então vamos a esta história.

 

A união do Laboratório Bell da AT&T, unius-se a General Electric e o projeto MAC do MIT (Massachusetts Institute of Technology), era voltada para desenvolver um sistema operacional que veio a se chamar MULTICS.

 

Como é de se esperar o projeto do MULTICS, não atingiu seus propósitos e então os Laboratórios Bell saíram do projeto. Logo em seguida o cientista Ken Thompson da empresa AT&T e um ex-integrante do grupo que desenvolvia o MULTICS, começou a desenvolver um novo sistema.

 

Este sistema era escrito em Assembly num computador PDP-7. Este foi batizado de UNIX.

 

Umas das grandes dificuldades em se escrever em Assembly é que praticamente o sistema operacional só vai funcionar numa plataforma. Ou seja ficaria limitado a uma única plataforma. Mas uma vez foi feito um esforço para se construir uma linguagem de programação que possibilitasse qualquer programa ser portado de forma bem mais fácil para outras plataformas. Então criou-se a linguagem C.

 

O UNIX cresceu muito na AT&T. Nesta época a AT&T não comercializava o UNIX, porém o distribuía de forma gratuita juntamente com o seu código fonte para as universidades para fins educacionais.

 

O UNIX cresceu tanto que a AT&T, aproveitando este grande filão de mercado, começou a comercializá-lo. Empresas do mundo todo desenvolveram aplicações comerciais para o UNIX.

 

A origem do nome Unix, vem do MULTICS. Primeiro foi chamado de Unics. Depois virou realmente UNIX. Brian Kernighan, também pesquisador da Bell Labs, foi quem deu esse nome.

 

O UNIX foi desenvolvido no final da década de 1960 e vai seguindo seu percurso de crescimento.

 

Características do UNIX

 

1. Sistema multitarefa e multiusuário

 

2. Disponível para diversas plataformas.

 

3. Sistema robusto e confiável.

 

4. Sistema maduro.

 

A principal desvantagem do UNIX é por ser muito caro e só funcionar em plataformas de hardware com preço inacessível a maioria dos profissionais.

 

Entre 1977 e 1981, a AT&T, alterou o Unix, fazendo algumas mudanças particulares e lançou o System III. Em 1983, após mais uma série de modificações, foi lançado o conhecido Unix System IV, que passou a ser vendido. Até hoje esse sistema é usado no mercado, tornando-se o padrão internacional do Unix. Esse sistema é comercializado por empresas como IBM, HP, Sun, etc. O Unix, é um sistema operacional muito caro e é usado em computadores poderosos (como mainframes) por diversas multinacionais.

 

Versões do UNIX comerciais:

 

» HP-UX

 

» AIX

 

» Solaris

 

» IRIX

 

A versão livre do UNIX se chama FreeBSD.

 

Essa história da origem do Unix é só um resumo, para que vocês possam entender a origem do Linux.

 

Apresentando o Linux

 

Como se percebe o UNIX é inacessível a maioria dos mortais, pois é caro e exige um hardware adequado. Isso, vai inspirar alguém a criar algo acessível. Mas antes disso vamos falar de outra pessoa.

 

Dr. Andrew Tanenbaum

 

O Dr. Andrew Tanenbaum motivado para fins educacionais, criou um sistema operacional chamado MINIX, baseado nos processadores INTEL 8086 que era na época a plataforma mais barata e atual.

 

O Minix só poderia ser usado para fins acadêmicos devido as suas limitações técnicas. Só endereçava até 1MB de cada vez. Não tinha memória virtual.

 

Ótimo. Já temos a primeira parte do sistema operacional.

 

O que é GNU e a FSF?

 

A Fundação do Software Livre – FSF (Free Software Foundation) fundada por Richard Stallman no ano de 1983fundou a (Fundação do Software Livre). Foi criado o projeto GNU. Este projeto tinha a responsabilidade de criar um clone do UNIX. Um detalhe deste clone é que tinha que ser livre e não poderia usar código fonte no UNIX pois tinha uma versão livre do UNIX – o BSD.

 

O projeto não deu certo em partes, pois chegou ao final da década de 80 sem cumprir seus propósitos que eram criar o clone do UNIX. Mas o fracasso não foi total.

 

Não se conseguiu fazer o clone do UNIX mas foram criadas as ferramentas necessárias para que Linux Torvalds conseguisse desenvolver o Linux.

 

Então, Linux Benedict Torvalds aluno da Universidade de Helsinque, na Finlândia usou tudo o que tinha até o momento: O Minix e as Ferramentas do GNU.

 

Linus, inicia o desenvolvimento de um kernel que fosse um clone do UNIX que possuísse memória virtual, multitarefa preemptiva e capacidade de multiusuários. Era um trabalho que ele sozinho não conseguiria terminar em tempo hábil.

 

Então, ele disponibilizou o código fonte do que ele veio a chamar de Linux.

 

O nome Linux surgiu da mistura de Linus + Unix. Linus é o nome do criador do Linux, Linus Torvalds.

 

Alguns linuxistas mais radicais chamam o sistema operacional do pingüim de GNU/LINUX, já que Linux Torvalds, conseguiu algum sucesso usando as ferramentas do projeto GNU.

 

 

Origem do nome Linux

 

O nome Linux surgiu da mistura de Linus + Unix. Linus é o nome do criador do Linux, Linus Torvalds. E Unix, é o nome de um sistema operacional de grande porte.

 

O nome do mascote Tux (o pingüim do Linux), foi escolhido por votação, pelo próprio Linus. Segundo ele "gostaria de um pingüim cheio, satisfeito por ter comido muitos peixes". Diz a lenda que o motivo por trás da escolha do Tux como mascote foi uma mordida que Linus levou de um pingüim em um zoológico.

 

O MINIX DO DR. ANDREW TANENBAUM

 

Um outro sistema operacional importante é o Minix. A partir dele é que Linux Torvalds começou a desenvolver o que chamamos de Linux. Mas ele não fez tudo.

 

Veja a seguir a frase do Linux Torvalds que ele publicou na USENET.

 

Mensagem de Linus Torvalds na Usenet

 

Abaixo segue a mensagem publicada por Linus Torvalds via Usenet na divulgação de seu projeto. A tradução para português foi disponibilizada logo abaixo da mensagem em inglês. Ambas as mensagens foram retiradas deste link:

 

http://www.rootlinux.com.br/documentos/downloads/Historia_do_Linux.txt.

 

De:Linus Benedict Torvalds (torvalds@klaava.Helsinki.FI)

Assunto:[comp.os.minix] Free minix-like kernel sources for 386-AT

Newsgroups:comp.archives

Data:1991-10-05 09:24:25 PST

 

Archive-name: auto/comp.os.minix/Free-minix-like-kernel-sources-for-386-AT

 

Do you pine for the nice days of minix-1.1, when men were men and wrote

their own device drivers? Are you without a nice project and just dying

to cut your teeth on a OS you can try to modify for your needs? Are you

finding it frustrating when everything works on minix? No more all-

nighters to get a nifty program working? Then this post might be just

for you :-)

 

As I mentioned a month(?) ago, I'm working on a free version of a

minix-lookalike for AT-386 computers. It has finally reached the stage

where it's even usable (though may not be depending on what you want),

and I am willing to put out the sources for wider distribution. It is

just version 0.02 (+1 (very small) patch already), but I've successfully

run bash/gcc/gnu-make/gnu-sed/compress etc under it.

 

Sources for this pet project of mine can be found at nic.funet.fi

(128.214.6.100) in the directory /pub/OS/Linux. The directory also

contains some README-file and a couple of binaries to work under linux

(bash, update and gcc, what more can you ask for :-). Full kernel

source is provided, as no minix code has been used. Library sources are

only partially free, so that cannot be distributed currently. The

system is able to compile "as-is" and has been known to work. Heh.

Sources to the binaries (bash and gcc) can be found at the same place in

/pub/gnu.

 

ALERT! WARNING! NOTE! These sources still need minix-386 to be compiled

(and gcc-1.40, possibly 1.37.1, haven't tested), and you need minix to

set it up if you want to run it, so it is not yet a standalone system

for those of you without minix. I'm working on it. You also need to be

something of a hacker to set it up (?), so for those hoping for an

alternative to minix-386, please ignore me. It is currently meant for

hackers interested in operating systems and 386's with access to minix.

 

The system needs an AT-compatible harddisk (IDE is fine) and EGA/VGA. If

you are still interested, please ftp the README/RELNOTES, and/or mail me

for additional info.

 

I can (well, almost) hear you asking yourselves "why?". Hurd will be

out in a year (or two, or next month, who knows), and I've already got

minix. This is a program for hackers by a hacker. I've enjouyed doing

it, and somebody might enjoy looking at it and even modifying it for

their own needs. It is still small enough to understand, use and

modify, and I'm looking forward to any comments you might have.

 

I'm also interested in hearing from anybody who has written any of the

utilities/library functions for minix. If your efforts are freely

distributable (under copyright or even public domain), I'd like to hear

from you, so I can add them to the system. I'm using Earl Chews estdio

right now (thanks for a nice and working system Earl), and similar works

will be very wellcome. Your (C)'s will of course be left intact. Drop me

a line if you are willing to let me use your code.

 

Tradução para o português:

 

Você sente falta dos dias do Minix/1.1 quando homens eram homens e escre-

viam seus próprios drivers? Você está sem nenhum projeto legal e está

ansioso para mexer num sistema operacional que você possa modificar

para atender às suas necessidades? Você está achando chato quando tudo

funciona no minix? Não ficar mais a noite inteira tentando arrumar

um programa legal? Então esta mensagem pode ser para você.

 

Como eu disse há um mês (?) atrás, eu estou trabalhando numa versão

grátis dum similar para o Minix, para computadores AT-386. Ela

finalmente atingiu o estágio onde já é usável (apesar de talvez

não ser, dependendo do que você quer), e eu estou a fim de colocar

(online) o código fonte para uma distribuição melhor. É apenas a ver-

são 0.02 (com mais um patch) mas eu já rodei bash/gcc/gnu-make/gnu-sed/

compress dentro dela.

 

Códigos fontes para este hobby meu podem ser encontradas em nic.funet.fi

(128.214.6.100) no diretório /pub/OS/Linux. O diretório também contem

alguns arquivos README e um conjunto de arquivos para permitir

trabalho no Linux (bash, update e GCC, o que mais você queria? :-).

O código-fonte do kernel está disponível por inteiro, porque nenhum

do código do Minix foi usado. Os códigos-fontes das bibliotecas são

apenas parcialmente abertos, portanto não podem ser distribuidos. O

sistema pode compilar "como está" e é provado que funciona. (hehehe)

Código-fonte dos programas (bash e gcc) podem ser encontrados no mesmo FTP

em /pub/gnu.

 

PERIGO! AVISO! NOTA! Este código fonte ainda precisa do Minix/386 para

compilar (e o gcc-1.4.0, ou o 1.3.7, não testei) e você precisa do Minix

para configurá-lo, então ele ainda não é um sistema por si só para vocês

que não tem o Minix. Eu já estou trabalhando nisto. Você também precisa

ter um jeito hacker (?) para configurá-lo, então para aqueles torcendo

por uma alternativa ao Minix/386, me esqueçam. Ele é atualmente para

hackers com interesse no 386 e no Minix.

 

O sistema precisa de um monitor EGA/VGA e um disco rígido compatível (IDE

serve). Se você ainda está interessado, pegue no FTP o readme/relnotes

e/ou me mande um e-mail para saber mais.

 

Eu posso (bem, quase) ouvir vocês perguntando para si mesmos: porquê? O Hurd

vai sair em um ano (ou dois, ou em um mês, quem sabe), e eu já tenho o Minix.

Este é um programa feito por e para hackers. Eu gostei de fazer ele, e alguém

pode começar a olhá-lo e até mesmo modificá-lo às suas necessidades. Ele ainda é

pequeno para entender, usar e modificar, e eu estou otimista em relação a algum

comentário que vocês tenham a fazer.

 

Eu também estou interessado em alguém que tenha escrito alguns dos utilitários/

bibliotecas para o Minix. Se o seu trabalho pode ser distribuído publicamente

(registrado ou mesmo domínio público), eu gostaria de ouvir comentários de vocês,

e para que eu possa adicioná-los ao sistema. Eu estou usando o Earl Chews estdio

agora mesmo (obrigado, Earl, por um sistema que funciona), e trabalhos similares

seriam bem-vindos. Seus (C)'s obviamente serão mantidos. Me deixe uma

mensagem se você quer deixar que a gente use seu código.

 

Fonte: http://www.infowester.com/linux5.php

 

O que significa gratuito no Linux?

 

O Linux depois de pronto foi baseado numa licença chamada GPL. Nem ele como criador original do Linux pode alterá-la ou requerer o Linux novamente para ele.

 

Licença GPL

 

Software livre não significa que uma empresa não possa comercializá-lo. Pode sim. O Linux, pode ser vendido sem problemas, mas, desde que siga quatro princípios de liberdade:

 

» Liberdade 0: - O direito de executar o programa, para qualquer propósito.

 

» Liberdade 1: - O direito de estudar como o programa funciona e adptá-lo para suas necessidades..

 

» Liberdade 2: O direito de redistribuir cópias, permitindo assim que você ajude outras pessoas.

 

» Liberdade 3: - O direito de aperfeiçoar o programa, e distribuir seus aperfeiçoamentos para o público, beneficiando assim toda a comunidade.

 

Você terá os direitos acima especificados contanto que Você cumpra com os requisitos expressos nesta Licença. Os principais requisitos são:

 

 

Qualquer uma destas condições podem ser renunciadas, desde que Você obtenha permissão do autor.

 

Qualquer direito de uso legítimo (ou "fair use") concedido por lei, ou qualquer outro direito protegido pela legislação local, não são em hipótese alguma afetados pelo disposto acima.

 

Fonte: http://creativecommons.org/licenses/GPL/2.0/

 

Então, para que um programa seja considera livre, ele tem que está baseado nestas quatro liberdades. Mas as pessoas e empresas podem cobrar para distribuir cópias do programa. A única coisa que não pode acontecer é o autor revogar estas 4 liberdades.

 

Então, para garantir estas liberdades é que as licenças foram criadas. A mais famosa é a GPL – General Public License (Licença Geral Pública).

 

COPYLEFT VERSUS COPYRIGHT

 

O COPYLEFT garante que qualquer usuário tenha o direito de copiar, modificar e redistribuir o código de um programa derivado do mesmo se os termos de distribuição não forem modificados.

 

É o oposto do COPYRIGHT.

 

 

Ao terminar este livro, está em andamento o processo de alteração da GPL. Veja uma reportagem:

 

INFORMAÇÕES SOBRE A GPL 3

 

A próxima versão da GPL (General Public License, em inglês), chamada de GPL 3, deve chegar no começo de 2007. Foi o que revelou Eben Moglen, membro do conselho da Free Software Foundation (FSF) que já está trabalhando em um rascunho da licença.

 

.:A GPL é a licença mais popular para software livre e foi criada por Richard Stallman, em 1989, para cobrir o projeto do sistema operacional de código aberto GNU.

 

.:"A versão 2 já está por aí há quase 15 anos [desde 1991] sem modificações substanciais", disse Moglen, que também é professor de direito e história legal na Universidade de Columbia, Estados Unidos.

 

.:"A GPL 2 começou com sucesso a partir de um mundo em que o software livre era usado por uma comunidade marginal e passou para outro em que todas as pessoas, em todos os lugares, sabem o que ele é", afirmou.

 

.:"Mas precisamos globalizar a GPL", continua Moglen. "Essa licença trabalhou elegantemente nos Estados Unidos, Europa e em todos os lugares, mas precisamos deixá-la um pouco mais cosmopolita", de forma que a GPL seja mais acessível a advogados de outras partes do mundo.

 

.:Além disso, a FSF precisa esclarecer a linguagem de alguns pontos da GPL, já que até advogados que têm o inglês como língua nativa enfrentam dificuldades na hora de interpretá-la.

 

.:Segundo Moglen, a GPL 3 precisará também refletir as mudanças na tecnologia, notavelmente o surgimento dos serviços web. A licença prevê liberdade para a cópia, modificação e compartilhamento de softwares, mas a FSF precisa determinar a situação em que a distribuição não é do software, e sim de um serviço baseado naquele programa.

 

.:O membro da Fundação afirma ter recebido uma "enxurrada de sugestões" para a GPL 3, e espera que, ao total, consiga até 150 mil comentários de pelo menos oito mil organizações de todos os lugares do mundo.

 

.:"Eles pensam na GPL em termos de suas próprias experiências como desenvolvedores, homens de negócio e usuários", disse Moglen. "Queremos capturar isso em toda a comunidade, de IBM e HP [Hewlett-Packard] até o grupo de usuários de Nairóbi".

 

.:Para Eben Moglen, a discussão da GPL 3 por grupos de todo o mundo revelará quão genuinamente cultural é a Free Software Foundation.

 

fonte: China Martens - IDG News Service, EUA

 

www.fsf.org

 

FONTE:

 

http://www.softwarelivreparana.org.br/modules/news/article.php?storyid=538

 

Conclusão

 

Hoje, aprendemos de onde vem o Linux, como foi feito, a diferença de gratuito e software livre. Aprendemos sobre o Minix, Linus, Richard. Sobre o projeto GNU.

 

Bem, no próximo tutorial, estarei falando sobre Distribuições e um pouco mais sobre o Ubuntu. Grande abraço.

 

Linux para Usuários - Básico
Instalando o Red Hat Linux
Introdução ao Linux
Comandos Básicos - Parte 1
Comandos Básicos - Parte 2
Comandos Básicos - Parte 3
Comandos Básicos - Parte 4
Edição de Texto - Parte 1
Edição de Texto - Parte 2
Edição de Texto com o vi - Parte 1
Edição de Texto com o vi - Parte 2
Sistema de Arquivos
Usando a forma literal
Processos - Parte 1
Processos - Parte 2 - Comandos
Processos - Parte 3 - Mais Comandos
Redirecionamento e Operadores
O Comando Grep
Configurações do Ambiente
Arquivos do Setup do Shell e o "/etc/profile"
Configurações de Rede
Comandos de Rede
Comandos de ftp e Instalação do lynx
Utilização e Configurações do Lynx
Instalação e Utilização do Browser Elinks
Parte 1 - A história do Linux
Parte 2 - As Distribuições Linux
Ubuntu Linux - Parte 2 - Conhecendo e Instalando o Ubuntu Linux - Parte 1
Ubuntu Linux - Parte 3 - Conhecendo e Instalando o Ubuntu Linux - Parte 2
Faça a sua declaração de imposto de renda com Linux
Linux para Administradores - Básico
Novidades sobre o Mandriva 2006
Configurando o Ambiente Gráfico no Linux
Instalando o Mandriva – Parte 1
Instalando o Mandriva – Parte 2
Instalando o Mandriva – Parte 3
Instalando o Mandriva – Parte 4
Ubuntu Linux - Parte 1 - Obtendo os CDs do Ubuntu gratuitamente
Mandriva Linux – Repositório com URPMI
Aprenda NFS e instale o Linux via Rede
Configurando um servidor de horas no Linux e Windows
Configure o Raid no Linux – Prático
Configurando o Red Hat Para ser Acessado Remotamente em Modo Gráfico
Instalando e configurando o Tomcat no Linux com Java - Prático
Mandriva Linux – Gerenciador de Pacotes - Usando o URPMI - Parte 1
Mandriva Linux – Gerenciador de Pacotes - Usando o URPMI - Parte 2
Gerenciando o Windows a partir do Linux
Gerenciando o Linux a partir do Windows
Configurando aplicações JSP via browser com o Tomcat
CACIC
CACIC - O que é o CACIC?
CACIC - Fazendo o download do CACIC
CACIC - Descompactando os arquivos do CACIC e Configurando o MySQL
CACIC - Configurando o php e ftp no Linux
CACIC - Configurando o Gerente do CACIC

 

Quer receber novidades e e-books gratuitos?

Contato: Telefone: (51) 3717-3796 | E-mail: webmaster@juliobattisti.com.br | Whatsapp: (51) 99627-3434

Júlio Battisti Livros e Cursos Ltda | CNPJ: 08.916.484/0001-25 | Rua Vereador Ivo Cláudio Weigel, 537 - Universitário, Santa Cruz do Sul/RS, CEP: 96816-208

Todos os direitos reservados, Júlio Battisti 2001-2021 ®

[LIVRO]: MACROS E PROGRAMAÇÃO VBA NO EXCEL 2010 - PASSO-A-PASSO

APRENDA COM JULIO BATTISTI - 1124 PÁGINAS: CLIQUE AQUI